Guardiãs de Ibarama

Exposição de fotos exibe retratos das mulheres que mantêm a tradição de multiplicar sementes crioulas no interior do estado

Publicado em: 20/03/2017 às 09:42:28

Tímidas, com sorrisos que “não mostram muito os dentes”, as guardiãs de sementes crioulas de Ibarama, cidade do interior do Rio Grande do Sul com aproximadamente 650 famílias de agricultores, foram retratadas pela fotógrafa Bibiana Silveira. As 19 mulheres fotografadas possuem a responsabilidade de proteger e guardar as sementes de milho, feijão e hortaliças. Essa tradição tem suas raízes na colonização italiana e alemã do município, que influenciou nas atividades de resgate e multiplicação das sementes crioulas.

 

Durante o desenvolvimento do projeto, a pesquisadora e engenheira florestal Marielen Priscila Kaufmann pôde perceber que, dentre os membros da Associação dos Guardiões das Sementes Crioulas de Ibarama-RS, há um número muito pequeno de mulheres guardiãs. Em sua pesquisa, Marielen constata que o fato se deve a uma estrutura familiar na qual a mulher tem um papel submisso no desempenho das atividades rurais, o que é comum entre as famílias do município. Por isso, Bibiana resolveu mostrar esse pequeno grupo de mulheres através de retratos.

 

Com trabalho iniciado há mais de 12 anos, a Associação é composta por mais de 30 famílias que multiplicam cultivares locais, tradicionais ou crioulas

 

Para Marielen, em texto publicado pela APUSM, a mulher possui um papel muito importante dentro da Associação e também em todo o processo desde a seleção até o armazenamento das sementes crioulas. Isso se deve à simbologia dada à semente como representante do início da vida, característica atribuída à mulher, o que torna o processo de proteção e guarda importante para as famílias. Segundo a fotógrafa, a tradição de guardar sementes influencia muito na forma como elas são vistas dentro da Associação. O reconhecimento do trabalho feminino veio depois da visibilidade dada através da exposição de retratos.

 

As Guardiãs de Ibarama, como é chamada a mostra de fotografias, já esteve em Nova Iorque, Lisboa, Buenos Aires, Montevidéu, Assunção, Porto Alegre, Uruguaiana e, agora, em Santa Maria, pela segunda vez. A mostra integra o projeto de extensão “Sistematização das ações de extensão, ensino e pesquisa relacionadas às cultivares de milho crioulo realizadas nos municípios da microrregião Centro Serra do RS”, realizado pelo Centro Vocacional Tecnológico em Agroecologia, Agrobiodiversidade e Sustentabilidade Prof. José Antônio Costabeber, com o apoio da Emater/RS-Ascar.

 

Além dos retratos, a exposição conta com cinco textos produzidos pela fotógrafa Bibiana complementados por relatos das pesquisadoras Marielen Kaufmann, Cassiane da Costa e Lia Reiniger. A exposição é paralela ao XXXIII Seminário de Educação Socioambiental, intitulado "Protagonismo de Mulheres na Agricultura Agroecológica". O evento acontece no Auditório Flávio Miguel Schneider (junto ao prédio 42 do Centro de Ciências Rurais da UFSM) no dia 21 de março de 2017 a partir das 16h.

 

Para conferir o ensaio completo “As Guardiãs de Ibarama”, clique aqui.

 

 

a
Repórter: Júlia Goulart
Foto: Bibiana Silveira