As 30 melhores fotos da Arco de 2017

Confira as imagens mais interessantes, curiosas, diferentes ou importantes do ano, selecionadas pelo fotógrafo da Arco

Publicado em 12/01/2018 às 14:08

ARCO > ARCO DIGITAL > CULTURA

Na produção do conteúdo da Arco, além da apuração e do texto jornalístico bem escrito, prezamos muito pelo aspecto visual das matérias. Em 2017, seguimos investindo bastante nas fotografias como elemento informativo e estético. “Com a missão de recuperar as imagens mais interessantes, curiosas, diferentes ou importantes do ano, revisitei as pastas com as fotografias que criamos neste ano”, conta Rafael Happke, fotógrafo da publicação. Happke selecionou as imagens (algumas inéditas) e contou alguns detalhes do material produzido nas pautas da Arco. Confira a seguir!

 

  • Um fragmento minúsculo de uma mandíbula encravado numa rocha é apresentado pelo pesquisador num fóssil coletado pelo Centro de Pesquisas Paleontológicas da UFSM, o Cappa.

 

  • O paleoartista Jorge Gularte, cujo trabalho foi relatado nesta matéria, mostra seus desenhos, na tela do computador, que retratam uma luta entre espécies pré-históricas. No animal desenhado à esquerda, estão representados os ossos encontrados pelo Cappa nas buscas paleontológicas.

  • A paleontologia pode ser entendida como levar a sério um gigantesco e complexo quebra-cabeças. Cada pesquisador trabalha muito para desvendar uma ou algumas peças deste cenário de milhões de anos. Nas fotos abaixo, temos a) uma amostra protegida por gesso recolhida ao laboratório para ser posteriormente aberta e revelar o quanto há realmente nesta amostra coletada; b) pesquisador mostra crânio de fóssil de animal comum na região sul na pré-história; c) fragmento de mandíbula com sua imagem digitalizada em três dimensões no computador. Confira o nosso Dossiê Paleontologia clicando aqui.

a) 

b) 

c) 

 

  • Apresentamos nas pautas da Arco as questões que frequentemente vêm ao centro do debate atual. Para a depressão, o mal do século, usamos como referência os termos isolamento, frieza e solidão. Quer saber mais? Leia a matéria aqui.

  • Outra questão que está sempre em pauta para diferentes grupos da sociedade, incluindo o acadêmico, diz respeito ao público LGBT. A Marina Martinuzzi, jornalista e acadêmica de pós-graduação da UFSM, nos concedeu uma entrevista para falar da bissexualidade.  Os retratos dela estão entre os mais queridos que fiz neste ano. E a matéria você confere aqui.  

 

  • Tratamos, nas nossas matérias, pelos aspectos de uma vida mais saudável. A UFSM tem sua feirinha no campus (a Polifeira do Agricultor) e de lá trouxemos histórias e retratos como o do aluno, produtor e feirante Ederson Joel da Silva. Leia a matéria aqui. 
  • Também visitamos um projeto coordenado pelo HUSM que reeduca crianças para hábitos mais saudáveis combatendo o sedentarismo e a obesidade infantil. Acompanhamos um dia com pais e filhos numa atividade que oferecia alimentação saudável e muita atividade física. Saiba mais aqui.

 

  • No mesmo ginásio em que encontramos as crianças do HUSM, fomos apresentados a uma galera muito especial. Na verdade, o encontro aconteceu um pouco antes, quando acompanhamos o trajeto de ônibus que percorre vários bairros da cidade reunindo pessoas de diferentes idades. Elas fazem parte de um projeto de Extensão da UFSM, o Extremus- dança sobre rodas que comemorou 15 anos e que junta pessoas com deficiência para um projeto que tem como foco principal a dança. Para muitos, o encontro semanal é a única oportunidade de interação social fora de casa.

 

  • Ao final de cada ano, acontece um espetáculo para amigos, familiares, voluntários do projeto e apreciadores que mostra como a força de vontade supera enormes desafios. As matéria e as fotos do espetáculo de Nas rodas da tradição estão aqui.

 

  • Continuando com o tema da arte, aconteceu na UFSM, em 2017, um encontro que reuniu músicos da cidade com a dupla Kleiton e Kledir. Eles vieram ministrar uma oficina-  surpreendente pelos resultados. Uma foto desse encontro segue abaixo, mas a matéria completa está bem bacana para entender o que eles fizeram com essa turma. 

 

  • Ainda pelo mundo dos espetáculos, trouxemos aos leitores o Cabaré Café, pelo viés dos bastidores, algo pouco visto pelo público. Curioso? Acesse aqui.

 

  • Fotojornalismo, às vezes, é trazer para a redação uma foto diferente, que você não deixa de fazer, mas que não combina com a pauta. A pauta, neste caso era sobre produção florestal de eucaliptos. A foto, que não combinava com a matéria, mas que a gente retorna agora é essa a seguir. E está aberta a enquete: obra da natureza, obra divina, interferência humana, ou viagem do fotógrafo? 

 

  • Visitamos várias vezes um dos setores que mais atiçam a curiosidade de alunos e visitantes: o departamento de Morfologia. É onde estão os corpos animais e humanos usados nas aulas de anatomia. Rendeu um dossiê com várias matérias e repercussão na imprensa local que retomou o assunto. Visitamos o ossário, tanques de preservação dos corpos, salas de aulas e conferimos a importância que os corpos têm na prática do ensino para vários cursos da UFSM. Confira aqui o dossiê Morfologia.

 

  • Outro projeto de Extensão que publicamos na Arco em 2017 foi o Orchestrarium, atividade que possibilita ensino de música para crianças e jovens. Fotografar a meninada aplicada no aprendizado de instrumentos como violino, oboé, violoncelo e contrabaixo rendeu imagens de pura fofura. Quero ver alguém discordar. Veja a matéria aqui.

 

  • Mesmo aqueles que gostam de frequentar a academia talvez nunca tenham feito exercícios para fortalecer o assoalho pélvico. É uma musculatura na base do abdômen que sustenta vários órgãos. A gente foi conferir uma aula orientada por uma professora do curso de Fisioterapia que promove exercícios para fortalecer essa região muscular e produziu esta matéria.  
  •  Para a revista impressa, tínhamos espaço para uma única imagem do professor Flávio De La Corte, referência em tratamento de equinos no Brasil e que inaugurou a editoria Volver. Tivemos dificuldade de escolher entre duas imagens. Uma foi publicada e a outra está aqui, retratando bem toda a rotina do professor da Medicina Veterinária, que após finalizar uma cirurgia num cavalo, incumbiu seus auxiliares, alunos da pós-graduação de finalizarem o procedimento. Passou para a sala ao lado onde outros alunos assistiam a cirurgia para compartilhar detalhes dos procedimentos realizados.

  • Várias visitas ao Restaurante Universitário para acompanhar todo processo de recebimento, controle e manufatura das carnes utilizadas nas refeições de quase 8 mil pessoas diariamente. O processo, tema de uma tese de doutorado de uma nutricionista do RU é cuidadoso e com muitos protocolos de atuação para garantir a segurança alimentar. Na foto, a imagem em que o funcionário, treinado para tal tarefa, avalia cada peça recebida do fornecedor para conferir as condições de aparência e odor da matéria-prima representa uma etapa crucial na decisão de manter ou retornar o produto ao fornecedor caso esteja abaixo das necessidades.

 

  • Olhando para o passado de 200 milhões de anos ou transformando o presente, o objetivo é sempre enxergar soluções para o futuro. Dimitri, na foto a seguir, com seu visual futurista, não é aluno, nem técnico, nem professor. Mas ajuda os alunos do Centro de Tecnologia e da UFSM a enxergar um futuro com mais oportunidades e, tomara, tecnologias que facilitem a vida de muitos que precisem. Dimitri foi o protagonista da editoria “Nossas invenções” da 8ª edição impressa da Arco.

 

Texto e fotografia: Rafael Happke