12 modalidades de atletismo da UFSM

Confira a lista de categorias deste esporte que exigem agilidade, resistência e força dos atletas

Publicado em 15/06/2018 às 15:21

ARCO > ARCO DIGITAL > SOCIEDADE

A equipe de atletismo da UFSM foi formada em outubro de 2017 e, desde então, disputou competições nas mais diversas modalidades e já subiu ao pódio muitas vezes. Já no primeiro mês de atividades, os atletas conquistaram o primeiro lugar no revezamento 4×100, e o segundo e terceiro lugares na modalidade de 100 metros, na Copa Unisinos, uma das maiores competições universitárias do Mercosul, realizada em São Leopoldo. Outra conquista ocorreu no Campeonato Estadual Sub-20, em abril deste ano, com o título de vice-campeã das provas 1500m feminino e 4x100m masculino, além da medalha de bronze nos 4x100m feminino.

 

A equipe é coordenada por Luiz Fernando Cuozzo Lemos, do Núcleo de Implementação da Excelência Esportiva e Manutenção da Saúde (Nieems) do Centro de Educação Física e Desporto (Cefd) da UFSM. Por alcançar boas colocações, o grupo conseguiu filiar-se à Federação de Atletismo do Rio Grande do Sul (Faergs) e a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt). Com isso, os 70 atletas que fazem parte da equipe – universitários, militares e comunidade – poderão representar a Universidade em competições de alto nível do esporte.

 

Equipe de atletismo da UFSM

No mês de junho, a equipe segue seu calendário de competições no Estadual Adulto Gaúcho, na Sociedade Ginástica Porto Alegre (Sogipa) no dia 16; Campeonato Brasileiro sub-20 nos dias 22 a 24, no Estádio do Centro Nacional de Desenvolvimento do Atletismo (CNDA), na cidade de Bragança Paulista (SP) e os Jogos Universitários Gaúchos (JUGs) na SOGIPA dia 30.

 

Conheça as modalidades que a equipe de atletismo desenvolve na lista organizada pela Revista Arco:

 

PROVAS DE VELOCIDADE

 

1. 100 metros

Os atletas de nível olímpico podem completá-la em menos de 10 segundos. Para isso, na fase de manutenção da velocidade máxima de corrida, muitos atletas nem se preocupam em respirar, já que isso os torna mais lentos.

Mauricio da Silva Moreira na corrida de velocidade

2. 200 metros e 400 metros

Depois de “explodir” na largada, os atletas devem manter os corpos em perfeito equilíbrio para enfrentar a curva que, muitas vezes, define quem se será o vencedor. Depois devem dar uma arrancada final. Nos 400 metros, os atletas devem dar uma volta na pista de atletismo que tem exatos 400 metros.

 

3. 100, 110 e 400 metros com barreiras

Na prova de 110 metros com barreiras para os homens e 100 metros com barreiras para as mulheres, os atletas têm de usar a explosão e passar dez barreiras distribuídas pelo caminho. Para as mulheres, os obstáculos têm 84 centímetros de altura, enquanto para os homens,  têm 1,067 metro.

Na modalidade de  400 metros, as barreiras têm 91,4 centímetros de altura para os homens e 76,2 centímetros para as mulheres.

Rodrigo Constantino de Melo na corrida com barreira

4. Revezamento 4×100 e 4×400 metros

Equipes de quatro atletas se revezam fazendo, cada um, um quarto do percurso total. Ao concluir sua etapa, o atleta passa o bastão para o companheiro, que já deve estar em alta velocidade, dentro de uma área restrita com cerca de 20 ou 30 metros de comprimento – para as provas de 400 ou de 100 metros, respectivamente.

Corrida de revezamento

5. Provas de meia distância

Os atletas devem conciliar alta velocidade com resistência em um percurso de 800 a 1.500 metros. Chamados meio-fundistas, os atletas que disputam essa modalidade são magros e aliam resistência e velocidade.

Bruna Alves Teixeira na corrida de meio-fundo

6. Provas de longa distância

São as provas mais longas disputadas dentro de estádios dos Jogos Olímpicos, com 5 a 10 mil metros de distância. Os atletas, batizados de fundistas, têm físico mais franzino do que os competidores das provas de velocidade, pois a prioridade deles é pela resistência e não a explosão muscular.

Jonatas Martins de Moraes e Adriano Gonçalves na corrida

PROVAS DE ARREMESSO E LANÇAMENTO

 

7. Lançamento de dardo

O atleta tem 90 segundos para fazer o lançamento. Após uma corrida de 30 a 36 metros, deve lançar o dardo de antes da linha e só pode ultrapassá-la depois de o dardo cair de ponta no chão. Para os competidores da categoria masculina, o dardo mede 2,7 metros e pesa 800 gramas; para a categoria feminina, tem 2,3 metros e peso de 600 gramas.

Raphael Vasconcellos Mendonça no lançamento de dardo

8. Lançamento de disco

O atleta deve segurar um disco plano contra os dedos da mão e lançá-lo de dentro do círculo de lançamento, não podendo mover-se até o objeto cair na área demarcada para isso. O círculo é limitado por uma cerca de proteção para evitar acidentes. O disco é feito de metal, pesa 2 kg e mede entre 219 e 221 milímetros de diâmetro para as provas masculinas; já para as provas femininas, pesa 1 kg e possui diâmetro entre 180 e 182 milímetros.

Ígor Schardong no lançamento de disco

9. Arremesso de peso

São seis tentativas para cada um dos oito atletas finalistas arremessarem o mais distante possível, com uma mão, uma bola sólida de metal. O atleta deve se manter dentro do círculo de lançamento e só pode sair quando o peso toca o chão. A bola tem 7,26 kg para os competidores homens e 4 kg para as mulheres.

Falco Luiz de Souza Gonçalves no aremesso de peso

PROVAS DE SALTO

 

10. Salto em altura

Os atletas devem saltar o mais alto possível sobre uma barra horizontal suspensa por dois suportes verticais separados por 4 metros de distância. A queda é feita em uma área acolchoada. A altura aumenta 3 centímetros a cada rodada, e os atletas têm três tentativas para superar cada altura. Três falhas seguidas levam à eliminação.  

Rodrigo Constantino de Melo no salto em altura

11. Salto em distância

Cada atleta tem três tentativas para correr em linha reta por uma pista com cerca de 40 metros, para então saltar antes da borda frontal da marca de pulo, buscando alcançar a máxima distância possível. O salto é medido, em linha reta, até a marca mais próxima do ponto de partida, feita por qualquer parte do corpo do atleta no espaço de areia.

Christopher Rodrigues de Oliveira no salto em distância

12. Salto triplo

O salto triplo é uma combinação de três saltos sucessivos que terminam com a queda em uma caixa de areia. O atleta pega impulso correndo em uma pista com cerca de 40 metros de comprimento. A partir de uma marca na pista, saltam duas vezes com um pé só, até se lançarem com os pés em uma caixa de areia. Eles têm três tentativas para alcançar a maior distância no salto. Os saltos são invalidados caso o atleta pise na borda ou em algum ponto tábua de impulsão. A marca é medida da ponta da tábua até a primeira marcação do corpo do saltador na caixa de areia.

 

Reportagem: Bibiana Pinheiro

Fotografia: Rafael Happke