A história da arte

por Henrique Walter Ribeiro*

Publicado em 09/08/2018 às 17:58

ARCO > ARCO IMPRESSA > Escritos

A Arte,

provocativa e volúvel,

pediu às Sociedades diversas – em tempos e lugares distintos –

que a conceituassem;

as Sociedades, presunçosas,

baseadas em seus conhecimentos,

aceitaram o desafio.

Uma a uma as ideias eram quebradas,

um a um os argumentos eram invalidados pela Arte.

 

A Arte,

incomodativa e desafiadora,

ria das empreitadas das Sociedades,

e, estas, em um ato desesperado,

comum aos que desconhecem,

por medo e ignorância, começaram a atacar a Arte.

Insultos.

Calúnias.

Desrespeito.

E, por fim, a censura.

 

Contudo,

A Arte,

sagaz e maleável,

sempre contornava a situação.

Como a fênix, das cinzas, renascia.

Diferente.

Estranha.

Incisiva.

 

A Arte, hoje,

resistência e plural,

segue aguardando um conceito,

segue questionando,

segue propondo,

e, sobretudo, aterrorizando àqueles que decidiram conservar dogmas.

Esta Sociedade falhou – e, assim como as outras, atacou.

Talvez o foco da Arte nunca tenha sido a resposta,

E sim a inquietude do processo.

Enfim…

 

À Arte:

Moça, você é afrontosa!

 

Diagramação e Ilustração: Giana Tondolo Bonilla

 

*Henrique Walter Ribeiro é acadêmico do curso de graduação em Artes Visuais da UFSM. Busca utilizar a Arte – em todas as suas formas – como ferramenta para extravasar pensamentos.