Volta à página de abertura

Informações Gerais

Programa

Bibliografia

Calendário

Exercícios

Novidades

Sugestões/Críticas

Downloads (pdf)

Créditos

UFSM

TIPOS DE RNA

            Os RNAs podem ser separados em dois grupos ou classes: os RNAs informacionais que atuam como intermediários na decodificação dos genes em cadeias polipeptídicas (RNAs mensageiros); os RNAs funcionais que atuam como estruturas usadas no processo de tradução e processamento dos RNAs.

a) RNAs mensageiros (mRNAs) – intermediários na síntese de proteínas; a seqüência de nucleotídeos desse tipo de RNA é transformada em seqüência de aminoácidos.

b) RNAs transportadores – conduzem os aminoácidos para dentro dos ribossomos durante a síntese da cadeia polipeptídica. São formados por 70-80 nucleotídeos e têm formato de folha de trevo característico, devido a pareamentos entre bases complementares que aparecem em determinadas regiões da molécula. O formato final das moléculas de tRNA é semelhante a letra L (Figura 8)

c) RNAs ribossômicos –  Os ribossomos são estruturas formadas por proteínas e RNAs. Em Escherichia coli, os ribossomos tem coeficiente de sedimentação igual a 70S. A subunidade menor do ribossomo de procariontes (subunidade  com sedimentação 30S) é formada por 21 proteínas e uma molécula de RNA denominada 16S; a subunidade maior (subunidade 50S) é constituída por 34 proteínas e dois RNAs (denominados 5S e 23S). Os ribossomos de eucariontes são maiores, a subunidade menor (ou 40S) é formada por uma molécula de RNA (18S) e aproximadamente 30 proteínas; a subunidade maior ( 60 S) contém três moléculas de RNA (28S, 5,8S e 5S) e aproximadamente 45 proteínas (Figura 9).

 

d) RNAs pequenos nucleares (snRNAs) – existem apenas em eucariontes; participam do processamento do transcrito primário (remoção dos introns); associados com várias subunidades protéicas formam um conjunto macromolecular denominado de partícula ribonucleoprotéica pequena (small ribonucleoproteins particle ou snRNP).

e) RNAs citoplasmáticos pequenos (scRNA) – atuam no tráfego de proteínas nas células de eucariontes; garantem, por exemplo, que os polipeptídeos que serão secretados pela célula serão transportados para dentro do retículo endoplasmático rugoso.