Está aberta a chamada de artigos para a Revista Letras (Qualis B1), do Programa de Pós-Graduação em Letras da UFSM. Trata-se de um periódico científico que tem como missão reunir e divulgar artigos resultantes de pesquisa científica original de caráter significativo para as áreas dos Estudos Linguísticos e Literários. A publicação  volta-se a pesquisadores e estudantes em nível de pós-graduação. 

 

Considerando as especificidades das linhas de pesquisa que integram o PPGLetras e a periodicidade semestral, que é mantida desde 1991, a cada ano é publicado um número temático dedicado aos Estudos Linguísticos e outro dedicado aos Estudos Literários, o que soma um total de 24 artigos por ano. 

 

Cada publicação fica sob a responsabilidade de dois pesquisadores que assumem a função de organizadores, sendo um vinculado ao PPGLetras e outro externo à UFSM, preferencialmente participante de programa credenciado pela Capes e classificado com, no mínimo, conceito 4. O periódico recebe textos apenas de autoria de pesquisadores doutores e preferencialmente escritos em português, além de francês, espanhol ou inglês. Os originais apresentados não devem ter sido publicados ou submetidos simultaneamente a outro periódico.

 

Chamada:

Letras 56 - Estudos Linguísticos - 2018 - Primeiro semestre
Título: Análise do discurso político: questões de teoria e de prática
Ementa: Os últimos acontecimentos no Brasil e no mundo têm trazido consigo não apenas uma reconfiguração do mapa do poder político, mas também uma avalanche de discursos que objetivam justificar esse labirinto de mudanças. Das atrocidades da guerra na Síria ao fortalecimento do Estado Islâmico, da encruzilhada da esquerda na América Latina ao projeto duvidoso da política externa dos EUA, o mundo enfrenta um conjunto de eventos políticos que se constroem e se reconstroem numa velocidade talvez nunca antes visto vista na História, provavelmente em função do papel da internet na construção e disseminação desses acontecimentos. A Universidade, historicamente palco onde se pensam os fazeres dos homens em toda a sua extensão, não pode se furtar de questionar e investigar as várias dimensões desses processos políticos que nos desafiam e afetam a todos nós em todo o mundo. Como não poderia deixar de ser, a linguagem se apresenta como uma das armas mais poderosas em todos esses embates políticos, usada para legitimar e/ou deslegitimar as várias vozes dos atores sociais envolvidos nesses eventos políticos que são, em boa parte, também linguísticos. Dito isto, a presente proposta constitui um amplo convite para se discutir o discurso político e, em particular, o papel da linguagem no desenrolar dessas práticas discursivo-políticas, uma vez que propõe aos interessados um diálogo de duas trincheiras: uma teórica e outra prática, isso porque, se é verdade que existem muitos trabalhos que poderiam ser rotulados de discurso político, pouquíssimos são aqueles que o tratam com a natureza específica que se deseja tratar aqui. A organização do presente número de Letras convida pesquisadores/as do Brasil e do exterior a refletir sobre o campo multidisciplinar Análise do Discurso Político (ADP). As contribuições poderão enquadrar-se em dois eixos principais: aquelas que tratem de questões teóricas envolvidas nesse campo do saber, como, por exemplo, a definição de política e/ou de discurso político, e aquelas que discutam produções científicas que examinam esse campo em sua realização textual-discursiva.

 

Os artigos deverão versar, preferencialmente, sobre um dos seguintes temas:
a. Definição de discurso político;
b. Áreas de investigação do discurso político;
c. Metodologias de análise do discurso político;
d. Discurso político e o conceito de nacionalismo;
e. Discurso político e o conceito de ideologia;
f. Discurso político e o conceito de hegemonia;
g. Papel da linguagem no discurso político;
h. Discurso político multimodal;
i. Análise do discurso político: várias disciplinas e um mesmo objeto;
j. História do discurso político.

 

Prazo de submissão: 28 de fevereiro de 2018.
Organizadores: Anderson Alves de Souza (UFPB), Vilmar Ferreira de Souza (IFCE) e Sara Regina Scotta Cabral (UFSM).