Portal do Governo Brasileiro

editada.jpg

Rodrigo Guerra, professor do Departamento de Processamento de Energia Elétrica da UFSM, foi eleito presidente da IEEE-RAS South Brazil Chapter, o capítulo sulbrasileiro da Sociedade de Robótica e Automação do Instituto de Engenheiros Eletrônicos e Eletricistas. Nele estão estão vinculados profissionais e estudantes dos estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Fundado em 1963, o IEEE é a maior organização do mundo dedicada ao avanço da tecnologia em prol da humanidade. Entre seus capítulos, o RAS South Brazil é um dos mais jovens, fundado em 2015 pelo professor da UFRGS Edson Prestes. Com o envolvimento de Edson no desenvolvimento de novas tecnologias para a inteligência artificial e sua necessidade de se retirar da presidência, a eleição de Rodrigo foi confirmada.

O professor Rodrigo conta como se sentiu ao ser convidado a presidir o capítulo: “No início fiquei um pouco preocupado por não ser tão experiente nessa área de sociedades técnicas, mas me senti muito honrado também”. Em parceria com o vice-presidente Paulo Drews (FURG) e o secretário Danilo Perico (FEI), ele assume a coordenadoria da seção no primeiro dia de julho.

Entre suas propostas, Rodrigo ressalta a intenção de trazer novos membros para o capítulo, a introdução de descontos na anuidade para estudantes, a realização de um número maior de eventos e o incentivo à maior circulação da robótica e automação na região. Além disso, ele acredita que sua eleição pode trazer benefícios para a UFSM: “Eu estando dentro de uma sociedade com tanta representação internacional, vou poder consolidar o nome da UFSM no mapa do mundo da robótica e automação.”

Para o professor Rodrigo, a Universidade Federal de Santa Maria tem potencial para ser cada vez maior e melhor:

“Eu tenho muito orgulho da UFSM e sempre achei que ela pode ser muito maior do que já é. Ela está sempre muito bem colocada nos rankings nacionais, entre as 15 ou 20 melhores. Eu acho pouco. Poderia ser a primeira.” 

E como grande desafio ressaltou a necessidade da UFSM de ter cada vez mais representação na área: “Desde que eu entrei aqui levantei essa bandeira da robótica e automação. Para mim, uma universidade desse porte precisa também ser representativa nesse assunto.”

Para se associar ou obter mais informações sobre o IEEE, peça a ajuda de um professor da área ou acesse o site do instituto

 

Texto por Lucas Gutierres, acadêmico de Jornalismo. - Núcleo de Divulgação Institucional do CT/UFSM.