PET UFSM

O Site dos Grupos PET da UFSM

FAQ

O que é o PET?
É um Programa de Educação Tutorial de longo prazo que visa realizar, dentro da universidade brasileira, o modelo de indissociabilidade do ensino, da pesquisa e da extensão.
O PET destina-se a apoiar grupos de alunos que demonstrem potencial, interesse e habilidades destacadas em cursos de graduação. A constituição de um grupo de alunos vinculados a um curso de graduação para desenvolver ações de ensino, pesquisa e extensão sob a orientação de um professor tutor visa oportunizar aos alunos participantes a possibilidade de ampliar a gama de experiência em sua formação acadêmica e cidadã.

O que faz o PET?
Os grupos PET fazem planejamentos anuais, contendo no mínimo 15 atividades: 5 atividades de ensino, 5 de pesquisa e 5 de extensão, visando atender aos objetivos do programa. Ao longo do ano, são executadas as atividades e, algumas vezes, acrescentam-se outras. Todas elas são apresentadas em um relatório final, enviado ao MEC, estando sujeitas a uma avaliação.

Quais são os principais objetivos do PET?
Os principais objetivos do PET são:
• realizar trabalhos que se relacionam com a vida acadêmica, priorizando sua qualidade. Para isso, são criados grupos que fortificam a união dos integrantes e são utilizadas ferramentas interdisciplinares;
• melhorar a qualidade da formação acadêmica dos alunos da graduação;
• formar profissionais capacitados com elevado nível de conhecimento técnico, científico, tecnológico e acadêmico;
• planejar técnicas que melhorem o desenvolvimento e modernização do ensino superior no Brasil;
• estimular o espírito crítico, bem como a atuação profissional pautada pela ética, pela cidadania e pela função social da educação.

Quem participa do PET?
Graduandos e um professor tutor, selecionados através de um processo seletivo, vinculados ao curso de graduação ao qual o grupo PET está registrado. No caso dos grupos PET temáticos, graduandos de outros cursos podem participar. É importante salientar que para permanecerem no grupo, graduandos e tutor devem cumprir as exigências dispostas no manual de orientações básicas (http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/PETmanual.pdf).

O que é preciso fazer para ser um petiano?
Para ser um petiano, você precisa estar regularmente matriculado em um curso de graduação. Não pode ser bolsista de qualquer outro programa, deve apresentar Coeficiente de Rendimento Escolar maior ou igual a 6,0, possuir disponibilidade de dedicar 20 horas semanais às atividades do programa e assinar um termo de compromisso com o grupo PET.
Depois de preencher esses requisitos, você deve passar por um processo de seleção de acordo com cada curso de graduação.

Quais são as obrigações do bolsista PET?
As atribuições do bolsista PET são as seguintes:
• zelar pela qualidade acadêmica do programa e participar das atividades de pesquisa, ensino e extensão programadas pelo professor tutor durante sua permanência;
• manter um bom rendimento no curso de graduação e na avaliação acadêmica feita pelo tutor;
• ter no mínimo um trabalho acadêmico por ano, em apresentações ou publicações de natureza científica, e fazer neles referências à sua condição de bolsista PET;
• não receber outra bolsa a não ser a do programa e, dessa forma, dedicar-se às atividades do curso de graduação e do PET com carga horária de 20 horas semanais.

Quais são as obrigações do tutor?
As obrigações do tutor são:
• planejar e coordenar as atividades do grupo e a seleção de bolsistas e não-bolsistas;
• submeter a proposta de trabalho do grupo para aprovação pelo curso de graduação antes do envio à Pró-Reitoria de Graduação, além de organizar os dados e informações das atividades para subsidiar a elaboração do relatório da IES e a avaliação de consultores;
• atender às demandas da instituição e da SESu, elaborando a prestação de contas da aplicação dos recursos recebidos;
• fazer referência a sua condição de bolsista do PET em trabalhos e publicações e solicitar ao Comitê Local de Acompanhamento o seu desligamento ou de aluno(s) bolsista(s);
• cumprir as exigências estabelecidas no termo de compromisso, com dedicação mínima de 8 horas semanais, controlando a freqüência e participação dos bolsistas, e sem o recebimento de qualquer outro tipo de bolsa.

Quantos grupos PET existem no Brasil?
Atualmente, existem 370 grupos PET distribuídos por todo o território nacional em 72 instituições, sendo 326 grupos com 12 alunos bolsistas cada e 44 grupos que iniciaram suas atividades em setembro de 2007 com 4 alunos bolsistas.

(A relação completa dos grupos está disponível em: http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/PET/grupos_pet.pdf)

Quantos grupos PET existem na UFSM?
Existem 17 grupos PET na UFSM: Agronomia, Agronomia/FW, Ciências Biológicas, Ciência da Computação, Ciências Sociais Aplicadas, Comunicação Social, Educação Física, Enfermagem, Enfermagem/PM, Engenharia Elétrica, Física, Letras, Matemática, Ñande Reko, Odontologia, Sistemas de Informação e Zootecnia.

A que órgãos o PET está vinculado?
O PET está vinculado à Secretaria de Educação Superior (SESu) do Ministério da Educação (MEC). Atualmente, está sob a responsabilidade da Coordenação-Geral de Relações Estudantis (CGRE) da Diretoria de Políticas e Programas de Graduação da Educação Superior (DIPES).

Como são implantados novos grupos PET?
Os novos grupos são implantados pelo Ministério da Educação mediante convocação por Edital. O Ministério da Educação, por intermédio da DIPES/SESu, convoca as Instituições de Ensino Superior (IES) a apresentarem propostas de criação de novos grupos, no âmbito do Programa de Educação Tutorial – PET.
Os novos grupos são criados e amparados de acordo com o estabelecido na Lei nº 11.180/2005, e nas Portarias MEC nº 3.385/2005, nº 1.632/2006 e no nº 1.046/2007. O CENAPET (escrever todo) em 2007 elaborou projeto-proposta de expansão dos grupos de 2007-2013, com adição anual de cerca de 150 novos grupos totalizando o Programa ao final de 2013 com 1500 grupos distribuídos nas IES do país.

Deixe uma resposta