Logo MAstr

 



mastr



mastr

mastr

 

Estações do MAstr

A primeira estação é UNIVERSO CRIADO DO CAOS, onde é apresentado um dos grandes desafios da atualidade e de toda a ciência é sem dúvida descobrir as origens e o destino do universo em que vivemos.  A primeira ideia de uma ordem em tudo isso surge com os gregos que afirmavam que tudo o que existe já foi totalmente sem forma e desorganizado e que este tudo de chamava  CAOS, a medida que o tempo passou o Caos foi se organizando transformando-se em Cosmos, que quer dizer ordem em grego.

A Segunda estação do Museu de Astronomia é “A Identidade do Sistema”, que apresenta o nosso Sistema Solar, que não é o centro do universo como imaginavam até o século XIX. O Sol é apenas uma estrela num grande conjunto de sois, e não no centro, mas uma estrela obscura girando em um dos braços espirais em torno de um centro gravitacional comum, denominado Via Láctea, que por sua vez é uma dentre bilhões de galáxias.

Na Terceira estação denominada “Do Mistério ao Cosmos”, descrevem os primeiros passos do homem no conhecimento astronômico, limitado à observação do movimento das principais estrelas, às suas ocultações pela Lua, e planetas. Estudava-se a trajetória do Sol, por meio da sombra dos gnomos, a luminária que representa o Sol pode ser conduzida por uma linha que representa a eclíptica, podendo variar em altitude e azimute.

A Quarta estação é alusiva ao  “Despertar de Jônia”, região do mar mediterrâneo onde à aproximadamente 2500 anos houve um glorioso despertar, repentinamente surgiram pessoas que acreditavam que tudo era feito de átomos, os seres humanos tinham surgido de formas mais simples, que as doenças não eram causadas por demônios, e que a Terra era um simples planeta girando em torno do Sol.

A “Arquitetura da Civilização” é a quinta estação do Museu Interativo e ilustra que a 400 anos iniciou-se uma nova era, destruindo tabus de uma sociedade antiga e criando uma civilização inteiramente nova. Copérnico, redescobriu o sistema heliocêntrico de Aristarco de Samos, e foi adiante conseguiu explicar os fenômenos celestes por meio do duplo movimento da Terra, sobre si mesma e à roda do Sol.

Na sexta estação “Olhos para o Infinito” representa-se uma época em que a ciência avança a passos largos quando existe a chama da dúvida, em 1663, aos 23 anos Newton comprou um livro de sobre astrologia, não entendeu pois não conhecia trigonometria, comprou então um livro sobre o assunto, após dois anos inventou o cálculo diferencial. Newton abriu uma nova era para a astronomia.  Nesta estação encontramos diversos telescópios e lunetas.

A Sétima estação foi denominada “Energia Radiante”, e representa uma maneira física de observar o cosmos. Nesta estação encontramos um vulcão, radiômetros,  esfera de plasma,  Rádio-Telescópio e uma maquete para explicar com funciona um buraco negro.

Na oitava estação o MASTR, busca apresentar um pouco das “Histórias de Viajantes”, em 1949 lança os primeiros foguetes espaciais o NRL-V2, em 1957 o primeiro satélite artificial o Sputnik, assim a Astronomia ganhou um poderoso complemento, que hoje se transformou em uma disciplina científica importante: a ciência espacial. trata-se de estudar o espaço não apenas com instrumentos em terra firme como os telescópios, mas mandar sondas exploratórias para fora do planeta e mesmo além do Sistema Solar.

A nona estação denomina-se “Viajando no Espaço e no Tempo”, uma busca ao desconhecido, ao universo, as nossas origens, medimos as distâncias com a velocidade da luz, 300.000 Km representam apenas um segundo, em torno de oito minutos um raio de luz viaja do Sol a Terra, em um ano ele atravessa perto de dez trilhões de quilômetros esta é a medida de um ano-luz, mede não o tempo mas distâncias enormes.  Esta estação recentemente no ano de 2011 recebeu o acréscimo de uma pequena cúpula, denominada Santos Dumont, ali foi instalado o projetor Zeiss  Space Master.

A décima e  última estação Teia de Galáxias (cosmic web), é uma alegoria ao último estágio de universo conhecido, “A Fronteira Final”, onde se apresentam tópicos sobre a estrutura do universo onde não só a matéria escura, mas as galáxias se dispõem em forma de filamentos, denominadas teias cósmicas de energia e matéria no vazio do universo.


Planetario Space Master.

Na cúpula "Santos Dumont" o Museu Interativo da  UFSM possui um Planetário Zeiss Spacemaster, que anteriormente estava na cúpula "Reitor Mariano" com um projetor  auxiliar  DLP half-dome .zeiss

Museu Gama d´Eça

Visite também o Museu Educativo Gama d´Eça, no centro da cidade e conheça a exposição sobre a criação da UFSM.


Horário: 8:00 - 12:00 * 13:00 - 17:00 todos os dias