Greve em discussão na UFSM

Portal Bei, 18/02/2014.

 

Neste último domingo, 16, docentes de universidades federais de todo o país aprovaram um Plano de Lutas no 33º Congresso Nacional da Associação Nacional dos Docentes, em São Luís (MA). No Plano de Lutas dos professores, consta uma agenda com assembleias e atividades para fevereiro e março.

O presidente da Seção Sindical dos Docentes da UFSM (Sedufsm), Rondon de Castro, esclarece em nota publicada no site oficial da entidade que o Congresso não decidiu pela greve da categoria, mas pela agenda de discussão entre os docentes da Universidade: “O que foi aprovado é o Plano de Lutas do Setor das Federais, e neste, uma agenda de mobilização em que o tema da greve, caso não avance a negociação da campanha salarial com o governo, aparece como possibilidade. Mas, para isso, as bases nas universidades precisarão se posicionar”, explica o sindicalista. Rondon também afirma que “são os professores, em assembleia, que decidirão se o debate da greve é pertinente ou não”.

Conforme a agenda do Plano de Lutas dos docentes, as atividades já iniciam em fevereiro. Nos dias 24 e 28 deste mês, a categoria protocolará no Ministério da Educação a pauta dos professores das universidades federais. Também será solicitada uma audiência. De 10 a 18 de março, é a vez das assembleias discutirem mobilização e paralisação indicada para o dia 19 de março. E, iniciado no dia 24 de março, começam as assembleias para debater e decidir sobre a greve.

Técnicos-administrativos também decidem sobre greve – Em Plenária Nacional, servidores técnico-administrativos em educação deliberaram por iniciar um movimento de greve em todo o país a partir do dia 17 de março. Representantes de 39 sindicatos estiveram reunidos no último domingo, dia 9, sendo que 24 dessas entidades votaram favoravelmente ao movimento grevista.

Em Santa Maria, porém, a Associação dos Servidores da UFSM (Assufsm), que representa a categoria na instituição, ainda precisa decidir se irá aderir ao movimento nacional. Ao que tudo indica, a tendência do sindicato será a de acompanhar a movimentação da Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores das Universidades Públicas Brasileiras (Fasubra). A mobilização já inicia neste mês, com paralisação agendada para o dia 20 de fevereiro.

Até o momento, a Assufsm não agendou assembleia em que a categoria discutirá sobre a greve. Na tarde desta terça-feira, a direção do sindicato reúne-se para decidir sobre a data da assembleia e definir um posicionamento.

Deixe uma resposta