História, artes e ciência

Diário de Santa Maria, 30/04/2014. Diário 2/Capa, pág. 1

Quer conhecer a história da primeira universidade federal do interior do Brasil e também conhecer mais sobre Santa Maria? O lugar certo a ir é o Museu Educativo Gama d’Eça.

O passeio começa pela fachada do prédio, na qual o visitante percebe a grandiosidade da casa que reúne um acervo de mais de 12 mil peças com a história do fundador da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), José Mariano da Rocha Filho. O prédio histórico foi construído em 1913, por Astrogildo César de Azevedo, intendente municipal e fundador do Hospital de Caridade. Por muitos anos, a casa funcionou como moradia do médico e ,anos mais tarde, a prefeitura teve sede no local.

No interior do prédio, as salas contam um pouco da trajetória da UFSM, por meio de material antigo usado nos primeiros cursos da federal, como máquinas de escrever e aparelhos de odontologia, além de animais empalhados e retro-projetores. Segundo Maria Izabel Mariano da Rocha, filha do fundador e coordenadora do Gama d’Eça, objetos raros como seringas antigas, máquinas de abrir cartas, dinheiro do século 20, armas e uma grande carruagem que pertenceu ao Conde de Porto Alegre fazem as crianças, os visitantes mais assíduos do museu, viajar no tempo.

A origem de um lugar histórico

Criado em 1968, o museu teve como primeira sede uma pequena sala do antigo Centro de Ciências Pedagógicas da UFSM. O projeto arquitetônico da Cidade Universitária previa um espaço para o Gama d’Eça no Campus, entre o prédio da Administração Central e o Planetário. Porém, segundo Maria Izabel, os planos mudaram, posteriormente. Foi no comando de Armando na Vallandro (1981-1985), que a remodelação do prédio da Rua do Acampamento foi concluida e o Gama d’Eça ganhou sua sede definitiva. No ano passado, foi concluído o processo de doação do prédio para a UFSM.

Deixe uma resposta