Vereadores querem ouvir lideranças sobre o fim do vestibular da UFSM

Portal Bei, 21/06/2014

Comissão Especial criada pelo Legislativo reunirá empresários e o reitor da instituição. Ministro se diz surpreso com a reação

Burmann: prejuízo aos estudantes (Foto Juliano Mendes/A Razão)

Burmann: prejuízo aos estudantes (Foto Juliano Mendes/A Razão)

A Comissão Especial criada pela Câmara de Vereadores para acompanhar o fim do vestibular da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) esteve reunida essa sexta-feira para organizar os trabalhos que serão desenvolvidos a respeito da polêmica. No primeiro encontro, os três vereadores que compõem a comissão, João Kaus (PMDB), João Chaves (PSDB) e Marcelo Bisogno (PDT) decidiram chamar lideranças de entidades empresariais da cidade, como Câmara de Comércio, Indústria e Serviços de Santa Maria (Cacism), Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e Sindilojas, para debate o assunto. Também serão convidados o reitor da UFSM, Paulo Burmann, e um representante da OAB Santa Maria. O encontro ficou marcado para segunda-feira, às 10h, na sede do Legislativo.

O objetivo da comissão é buscar informações que esclareçam as medidas que foram tomadas até a extinção do vestibular. “A Comissão Especial foi formada por acreditarmos que é importante a participação do Legislativo nesse processo.Para a reunião de segunda-feira serão convidados membros de entidades empresariais, e ainda na próxima semana faremos uma reunião com o reitor Paulo Burmann para debatermos as questões que levaram a instituição a tomar essa decisão”, explica o presidente da comissão, vereador João Kaus.

fgsefe

 

O reitor da UFSM, Paulo Burmann, esteve reunido com o ministro da Educação, Henrique Paim, na última quinta-feira. Na ocasião, Paim teria ficado surpreso com a reação da comunidade santa-mariense envolvendo o fim do vestibular da UFSM. “A adoção do Enem vem ocorrendo em todas as universidades federais do país. Logo, a medida da UFSM teria sido algo natural”, afirma o ministro.

O tema virou caso de Justiça em Santa Maria. Entidades empresariais ingressaram na Justiça Federal para exigir a manutenção do vestibular de dezembro de 2014, sob a alegação de que o cancelamento das provas irá prejudicar os estudantes que já se preparavam para a seleção do final do ano.

O juiz da 3ª Vara Federal, Loraci Flores de Lima, deve decidir na próxima semana sobre o pedido de liminar das entidades para que as provas sejam mantidas este ano. Burman diz que a UFSM tem autonomia para definir sua forma de ingresso, mas não descarta a possibilidade de a Justiça determinar a aplicação do vestibular. Nesse caso, o reitor garante que não haverá prejuízo em termos de cronograma, pois o edital do concurso costumava sair no final de julho e início de agosto. O prejuízo, segundo ele, seria para os estudantes. “O principal prejuízo é que estudantes e a comunidade já estão se preparando para o Enem”, afirma o reitor.

Comentários estão fechados.