Primeiro satélite totalmente desenvolvido no RS é lançado

Gazeta do Sul, 22/06/2014, Portal Gaz

Artefato foi lançado nessa quinta-feira, 19, na base espacial em Yasny, na Rússia, e está 100% operacional

O Polo Espacial Gaúcho colocou no espaço o primeiro nanossatélite produzido no Estado, o NanosatC-BR1. O artefato, que foi desenvolvido pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) em parceria com o (Inpe), foi lançado nessa quinta-feira, 19, na base espacial em Yasny, na Rússia, e está 100% operacional.

Segundo o membro da Equipe de Rastreio e Controle de Nanossatélites , do programa Nanosatc-Br, Thales Mânica, já foram realizados teste de envio e recebimento de comandos. “Todos os procedimentos de operação foram concluídos com sucesso, e estão devidamente documentados. O NanosatC-BR1 está em órbita e transmitindo beacon em código Morse. É o primeiro nanossatélite universitário brasileiro da história em operação no espaço”.

O gerente do projeto no Centro Regional Sul (CRS/Inpe), em Santa Maria, e coordenador do Programa NanosatC-BR, Nélson Schuch, acredita que o desenvolvimento de um nanossatélite no Estado só foi possível com a parceria e apoio disponibilizados pela Secretaria da Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico (Scit). “O secretário Cleber Prodanov nos auxiliou em todas as etapas do processo, buscando recursos para qualificar os pesquisadores”.

O titular da Scit, Cleber Prodanov, destacou o orgulho de apoiar um projeto desta magnitude. “A meta desta gestão tem sido introduzir o Rio Grande do Sul no mercado internacional. Esse primeiro nanossatélite totalmente gaúcho mostra a capacidade dos nossos pesquisadores, e nada mais justo do que a secretaria auxiliar na busca de investimentos para ampliar cada vez mais o nicho de atuação desses profissionais e elevar o nível de desenvolvimento do Estado”, afirmou.

Para auxiliar o projeto, a Secretaria da Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico tem fomentado as pesquisas em universidades, articulado a busca de recursos e, principalmente, investido para a formação e capacitação de recursos humanos na área espacial. “Junto a UFSM e o Inpe, estamos desenvolvendo ações que possibilitem a ampliação de especialista na área, como o lançamento do curso de engenharia espacial na Universidade Federal de Santa Maria, previsto para iniciar em 2015, com verba que estamos trabalhando junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação para investimentos ”, disse Prodanov.

De acordo com Nélson Schuch, a união entre Inpe, UFSM e Scit não para apenas neste primeiro satélite. “Já estamos com o segundo nanossatélite, o Nanosatc-Br2, praticamente pronto. Ele foi desenvolvido na UFSM e já está na sede do Inpe, em São José dos Campos (SP). Faltam apenas as cargas úteis e o artefato poderá ser lançado imediatamente. A previsão é 2015”, garantiu o coordenador.

Leonardo da Costa, outro integrante da equipe de rastreio, ressalta que este apoio que o programa está recebendo do secretário Prodanov, ao direcionar esforços para solidificar o Polo Espacial Gaúcho, possibilitará missões científicas muito mais complexas. Com isso, a política da gestão da Scit está se consolidando no RS, ao investir na tecnologia para ampliar e fortalecer o desenvolvimento do Estado. Para a etapa de conclusão do satélite, o secretário negocia com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação a liberação de verbas.

O polo é uma iniciativa do governo estadual em convênio com empresas de tecnologia, universidades, Forças Armadas e institutos científicos. Tem como âncora a AEL Sistemas, companhia especializada no desenvolvimento de soluções em defesa.

Comentários estão fechados.