OLHA A KEMI AÍ! Um jeito bem legal de aprender Química. Com direito a apresentação na TV Campus

Blog Claudemir Pereira, 07/09/2014

“A viagem de Kemi”, disponível na TV Campus. Mas é bem mais que isso, pode apostar

“A viagem de Kemi”, disponível na TV Campus. Mas é bem mais que isso, pode apostar

O nome da coisa toda é “A viagem de Kemi”, um programa veiculado pela TV Campus e que tem tudo a ver com o ensino de Química. Não para universitários, mas para estudantes de todas as idades, especialmente aos que estão no ensino médio.

É um projeto complexo, que tem vários anos e atua de uma forma, digamos, multimídia: áudio, vídeo e jogos eletrônicos bem ligados. Mas, não há dúvida, o que há de mais visível é mesmo o conjunto de programetes na televisão. Sobre tudo isso e quem está a frente do projeto e ainda mais, vale conferir o material originalmente publicado no sítio da Seção Sindical dos Docentes da UFSM. O texto é de Fritz R. Nunes, com imagem do Feicebuqui. A seguir, um trecho:

‘A viagem de Kemi’ populariza a química na TV Campus

…Quem assiste à atriz gaúcha Fernanda Moro, junto a outros atores do elenco de ‘A viagem de Kemi’, em programetes veiculados pela TV Campus, tem uma grata surpresa sobre como a explicação de conteúdos aparentemente tão complexos da área de Química podem ser feitos de forma simples e, ainda mais, adaptados à realidade em que vivemos. O programa resulta da concretização de um projeto de mais de 2 milhões de reais, financiado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE/MEC) e Ministério da Ciência e Tecnologia, iniciado ainda em 2007, que teve uma construção em parceria da UFSM com a UFRGS e a PUC-RS.

O programa vai ao ar com conteúdos inéditos todas às segundas-feiras, 22h, pela TV da UFSM, que pode ser sintonizada no canal 15 para os assinantes da tv a cabo. Ao longo da semana há repetições do programa em horários diferenciados. ‘A viagem de Kemi’, que tem sido veiculado na TV Campus desde o início de 2014, teve uma longa construção, com a avaliação do conteúdo feita pela equipe técnica do MEC. Segundo Marta Tocchetto, professora do departamento de Química da UFSM e coordenadora do projeto, foi um ano e meio produzindo e gravando os programas através da Accorde produções, em Porto Alegre, e mais um ano e meio de avaliação pelo MEC. A liberação final do produto aconteceu na metade de 2011.

O conteúdo dos programas perpassa os três anos do ensino médio, explica a professora, que assinala o fato de que só foram transformados em histórias para a TV, para áudio e jogos eletrônicos, aqueles temas que realmente tinham possibilidade de sofrerem essa adaptação. A grande novidade no projeto é justamente a adaptação das histórias para diversas plataformas. Na totalidade, o conteúdo corresponde a 306 produtos, que se comunicam entre si: 102 vídeos, 102 áudios e 102 jogos eletrônicos, que…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

Comentários estão fechados.