Domingo da diversidade

Portal Bei, 22/09/2014, Destaques, Online.

 

Teatro e Parada Livre coloriram o domingo. Centenas foram à Gare celebrar a luta pela igualdade e respeito

diversidade 01

Na Praça do Mallet, Romeu e Julieta foi encenada pela Cia Retalhos de Teatro para público de todas as idades no projeto “Domingo na Praça”

A Praça do Mallet, localizada no Bairro Passo D’Areia, foi o palco de uma das mais belas e conhecidas histórias de amor da humanidade. O domingo ensolarado recebeu o espetáculo “Romeu e Julieta”, interpretado pelo grupo Cia Retalhos de Teatro, em uma apresentação destinada a todas as idades. Crianças, jovens e adultos contemplavam atentos à história, idealizada pelo escritor e dramaturgo inglês William Shakespeare ainda por volta do ano de 1590, interpretada pelos atores de Santa Maria em um formato lúdico e colorido. A apresentação integra o projeto “Domingo na Praça” e contou com os artistas Julio Cesar Aranda, Juliet Castaldello, Rafael Jacinto, Débora Matiuzzii, Jeferson Ilha e Helquer Paez.

Ao mesmo tempo, na Gare da Estação Férrea, tinha início a 13ª Parada Livre da Região Centro. Também como uma forma de celebrar o amor, lutando pelo respeito à diversidade, as centenas de pessoas que compareceram à Gare iluminaram a cidade em seu pedido por respeito à diversidade. Shows musicais, apresentações de dança, performances artísticas com transformistas, travestis, drag queens e intervenções dos coletivos organizadores da Parada animaram o público. À festa, compareceram pessoas de todas as idades e de todas as regiões da cidade. Além do clima festivo, a Parada Livre aproveitou o espaço para reforçar a importância de criminalizar a homofobia, acabar com o preconceito e incentivar o respeito aos gays e travestis, às lésbicas e pessoas transexuais. Os militantes acenavam bandeiras coloridas (símbolo da luta LGBT – lésbicas, gays, bissexuais e transexuais) enquanto conferiam as apresentações e manifestações.

diversidade 02

Em torno de 2 mil pessoas foram à Gare para celebrar a diversidade sexual. 13ª Parada Livre teve, além de apresentações artísticas, protesto pela igualdade de gênero e por políticas públicas para comunidade LGBT

Ellen Bianchini, integrante da ONG Igualdade, 1ª Miss Diversidade do Estado e apresentadora da Parada Livre na tarde de ontem, chamou a atenção para os dados preocupantes de violência contra homossexuais – no ano passado, foram 312 crimes impulsionados pela homofobia e, neste ano, já transcorreram 214. “Esperamos não trazer mais dados assim no próximo ano de Parada. O povo gaúcho, que sempre lutou pela liberdade, não pode mais aceitar o preconceito”, declarou Ellen, ao relembrar o recente caso de incêndio no Centro de Tradições Gaúchas Sentinelas do Planalto, na cidade de Livramento, durante a realização de um casamento coletivo com a presença de um casal formado por duas mulheres. Ellen também citou a importância de políticas públicas voltadas para a comunidade LGBT, além de uma legislação mais igualitária para o público.

“Queremos amor e respeito”

 

diversidade 03

 

André Taschetto é professor e assumiu-se homossexual há poucos dias. Desde então, ele percebe a força da sua decisão para promover a igualdade e o respeito. Em sua primeira participação na Parada Livre, André interpretava uma personagem criada por ele – Lady Marie Curie – uma cientista vencedora de prêmios Nobel que, ontem à tarde, vestia-se de prenda da diversidade, carregando a faixa nas cores do movimento LGBT. “Utilizei essa personagem em uma aula para falar de moléculas orgânicas e fui chamado à direção por ‘chocar’, mas eu cansei de utilizar o chicote da repressão. A Lady é a personificação do poder feminino na luta contra o preconceito. A minha luta é contra todos os tipos de preconceitos – que, infelizmente, ainda sofremos muito. E se eu quisesse dar aula sempre assim, não poderia? Isso vai contra a liberdade de expressão. Temos que ter caráter, podemos ser o que quisermos e queremos amor e respeito”, declara André antes de sua apresentação na Parada.

A 13ª Parada Livre da Região Centro do Estado é uma realização da Prefeitura de Santa Maria (Secretaria de Saúde), da ONG Igualdade Santa Maria, do Coletivo Voe! de diversidade sexual, do Práxis Pré-Vestibular, do Grupo de Pesquisa Espacialidades Urbanas UFSM e de ativistas independentes e membros da comunidade.

Fotos: Devid Dutra/Fonte: A Razão.

Comentários estão fechados.