Exatron vai testar novo protótipo para iluminação

Jornal do Comércio, 19/10/2014, Edição Online

Patricia Knebel

ANTONIO PAZ/JC
Régis Haubert é diretor da Exatron
Régis Haubert é diretor da Exatron

Foram R$ 2,6 milhões investidos e cerca de 60 pessoas envolvidas no desenho do primeiro relé fotocontrolador do País desenvolvido com o microcontrolador ZR-16S08. O produto, que deverá começar a ser testado em breve, permitirá alguns avanços no controle da iluminação pública.

O novo modelo de relé faz uma leitura mais precisa sobre o período que começa a escurecer e amanhecer, gerenciando melhor as funções de ligar e desligar as luzes automaticamente nas ruas. Também é possível determinar o melhor momento de ligar e desligar a carga, sem que sofra uma corrente de partida maior. “Isso aumenta a vida útil do sistema de iluminação, que é formado por reator e lâmpada”, acrescenta o diretor da Exatron, Régis Haubert.

A empresa gaúcha, uma das líderes no mercado brasileiro em sensores de presença e relés para iluminação, será a primeira a testar essa novidade. A tecnologia levou quatro anos para ser produzida e tem assinatura da Santa Maria Design House, vinculada à Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), e da Chipus, de Santa Catarina.

O executivo relembra que, há alguns anos, a Exatron procurou a Ceitec, em Porto Alegre, para desenvolverem em parceria um microcontrolador que pudesse ser usado em produtos fabricados para a área de iluminação pública. Com a mudança na gestão da empresa de semicondutores, porém, o projeto acabou não acontecendo. Depois disso, alguns dos profissionais saíram da Ceitec e seguiram para a Santa Maria Design House, e foi assim que a ideia teve continuidade.

Juntas, as empresas passaram a trabalhar na construção das características desse sistema. Uma das decisões foi a de tirar os componentes da placa e otimizá-los via software, transformando em  funcionalidade do próprio chip. “Com isso conseguimos criar um microcontrolador nacional e capaz de ser usado em vários produtos de baixo custo”, explica.

O microcontrolador é financiado pelo Sistema Brasileiro de Tecnologia (Sibratec) e é o primeiro a ser projetado e patenteado no Brasil. A fabricação será feita na Malásia.

Um microcontrolador é capaz de fazer conversões de sinal, de ler temperatura e umidade, entre outros. O sistema é mais completo que o microprocessador, que não tem capacidade de realizar funções externas. Hoje, os microcontroladores mais utilizados ainda são produzidos nos Estados Unidos.

Cerca de 700 peças já estão sendo montadas pela Exatron e a ideia é que até novembro estejam finalizadas. Feito isso, a meta é encontrar cidades interessadas em testar gratuitamente esse sistema na iluminação pública. Haubert espera que os governos participem desse projeto. “Valorizar a tecnologia brasileira é incentivar que o País atinja mais protagonismo no mundo no setor eletroeletrônico”, comenta o empresário.

 

Comentários estão fechados.