Silveira Martins quer novos cursos da UFSM na cidade

Portal Bei, 06/11/2014

Prefeituras da Quarta Colônia entregaram ao reitor documento em que pedem fortalecimento da Unidade Descentralizada    

Prefeito de Silveira Martins, Rozimar Bolzan (em pé), avaliou como positivo o encontro de ontem com reitores (Foto Divulgação/A Razão)

Prefeito de Silveira Martins, Rozimar Bolzan (em pé), avaliou como positivo o encontro de ontem com reitores (Foto Divulgação/A Razão)

Raul Pujol 

Reformulação dos cursos, manutenção do curso de Administração e implantação dos cursos (noturnos) de Ciências Contábeis e Direito, na Unidade Descentralizada de Educação Superior da UFSM em Silveira Martins (Udessm). Estes foram os pedidos entregues no final da tarde de terça-feira, na Câmara de Vereadores de Silveira Martins, ao reitor da universidade, Paulo Afonso Burmann e ao vice-reitor, Paulo Bayerd.

O documento foi entregue pelo movimento Fica UFSM Silveira Martins, criado no mês passado e composto por lideranças da cidade, com o objetivo de fortalecer a Udessm. “O maior medo da comunidade silveirense era que a Udessm fechasse. Hoje o que está em questão são os cursos superiores que podem ser implantados. Este encontro com os reitores foi bastante produtivo. Eles vindo até aqui demonstraram interesse e comprometimento com o município”, avaliou o prefeito Rozimar Bolzan, que também aproveitou para entregar um documento assinado por os prefeitos da Quarta Colônia de Imigração Italiana em favor do fortalecimento da unidade silveirense.

Para a empresária Bianca Bergmam, integrante do movimento Fica UFSM Silveira Martins, o encontro teve um saldo bastante positivo. “O reitor reafirmou na frente da comunidade que não existe a possibilidade do fechamento da unidade. Também disse que as futuras ações serão sempre debatidas junto com a população silveirense”, diz.

Centro cultural – Segundo o vice-reitor, Paulo Bayard, as propostas apresentadas pela comunidade de Silveira Martins e pelo estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV) serão avaliadas e discutidas com a comunidade acadêmica da Udessm. No estudo, a FGV apresentou a proposta de transformar a unidade em Centro Cultural, que desenvolva atividades que atraiam público das cidades da região central do Estado. Outra possiblidade é a criação de um centro de pesquisa na área de biodiversidade.

Os estudantes silveirenses torcem para que a oferta de Ensino Superior continue na cidade da Quarta Colônia. “Estou com uma grande expectativa que os cursos permaneçam e venham novos cursos. Para os jovens que moram aqui, isto é muito importante, além de desenvolver o nosso município”, diz o estudante de Administração Lucimar Weber, que reside na comunidade de Linha Base, interior do município.

Um dos problemas da Udessm é a alta taxa de estudantes que abadonam os cursos.Segundo a UFSM, o índice chega a 69%.

Comentários estão fechados.