Festa nos dois anos da tragédia da Kiss gera polêmica em Santa Maria

Correio do povo, 24/01/2015. Geral, online. 

Evento ocorrerá na data do incêndio que causou a morte de 242 pessoas

Uma festa de funk em Santa Maria, prevista para a noite de terça-feira, está gerando polêmica entre os moradores do município da região Central do Estado. O motivo é que o evento acontece na data em que há dois anos ocorreu a tragédia da boate Kiss. Na página da Muzeo Pub no Facebook, a casa noturna garante que metade da renda com a venda de ingressos será revertida para instituições beneficentes.

A festa acontece todas as terças há mais de um ano. Para Jéssica Rosado, irmã de Vinícius Rosado que morreu no incêndio da boate Kiss, não há nenhuma conotação pejorativa. Ela faz parte do movimento “Ah! Muleque”, que realiza blitz de conscientização nas casas noturnas. A jovem contou que o proprietário da casa noturna chegou a consultá-la sobre a realização do evento nesta data.

“Me perguntaram se o estabelecimento deveria ser fechado nesse dia em respeito às vítimas. Mas acredito que o respeito tem que ser diário e disse ao Marcelo (proprietário) que, se fosse promovido algo diferente, eu apoiaria. Por isso, vai ser uma festa do branco como forma de conscientização dos jovens em relação ao consumo de álcool, o que já é um trabalho que estamos fazendo. Foi combinado que parte da renda será doada para uma entidade que beneficia pessoas com câncer”, explicou Jéssica.

Já o presidente do Movimento do Luto à Luta, Flávio Silva, critica a realização da festa. “Acho de muito mau gosto. Se querem doar, que façam em outra data e revertam tudo para entidades carentes. Estão, na verdade, é se aproveitando para fazer marketing dessa casa noturna e ganhar em cima da tragédia que aconteceu com nossos filhos”, lamentou.

Mais comedido na crítica, o presidente da Associação dos Familiares de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia, Adherbal Ferreira, afirmou que cada um tem o próprio modo de expressar sentimento em relação à perda de familiares. “Eu não faria uma festa, acho que esse é um momento especial de introspecção da alma. Penso assim, mas cada um se expressa da sua forma e simplesmente respeito a opinião de cada um”, declarou.


A tragédia

O incêndio na boate Kiss – que ficava na Rua dos Andradas, Centro de Santa Maria – começou por volta das 2h30min da madrugada de 27 de janeiro de 2013. Dos jovens que participavam de uma festa organizada por estudantes da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), 242 morreram em decorrência do fogo.

Segundo testemunhas, o fogo teria começado quando um dos integrantes da banda Gurizada Fandangueira, que acabara de subir ao palco, lançou um sinalizador. O objeto teria encostado na forração da casa noturna. As pessoas não teriam percebido o fogo de imediato, mas assim que o incêndio se espalhou, a correria teve início. Conforme relatos, os extintores posicionados na frente do palco não funcionaram.

Em pânico, muitos não conseguiram encontrar a única porta de saída do local e correram para os banheiros. Aqueles que conseguiram fugir em direção à saída, ficaram presos nos corrimãos usados para organizar as filas. A boate foi tomada por uma fumaça preta e as pessoas não conseguiam enxergar nada. A maioria morreu asfixiada dentro dos banheiros ou na parte dos fundos da boate.

Comentários estão fechados.