É carnaval. Uma muamba muito popular, e com ingredientes os mais variados, pelas ruas da cidade

Blog Claudemir Pereira, 05/03/2015, Edição Online.

Arte de Alexon Messias da Rocha, representando a festa Muamba, que acontece neste sábado

Em épocas de extravagâncias carnavalescas, de milhares investidos em escolas de samba do eixo, de ostentação em poucos espaços e recursos pequenos para as agremiações em Santa Maria realizarem seu Carnaval de rua (aproximadamente R$ 30 mil destinados à festa foram anunciados recentemente, para cada escola) – diante de todos esses elementos – surge mais uma iniciativa popular que busca trazer o Carnaval ainda mais para a rua.

Com a premissa de que a rua é de todos, alguns coletivos, movimentos sociais, comunidade de terreiro e membros de escolas de samba da cidade decidiram organizar a primeira edição da festa Muamba em Santa Maria. A ideia da festividade é celebrar o Carnaval de – e para – rua neste mês de março. E junto da alegria, também a luta. Conforme os organizadores, o festejo visa – além de alegrar – combater as mais diversas nuances da opressão – o machismo, o racismo, a homofobia e a intolerância religiosa. Para isso, a festa está organizada em blocos diversos que trarão a sua cara à Muamba, colorindo a alegria com a luta.

Porta-estandarte da Muamba, Flávia Gomes, da Mocidade das Dores (foto de Luciele Oliveira)

Porta-estandarte da Muamba, Flávia Gomes, da Mocidade das Dores (foto de Luciele Oliveira)

Neste sábado, dia 7 de março, a partir das 18h, na Praça Saldanha Marinho, os muambeiros irão se reunir para começar a festa. A partir das 20h30, o grupo descerá rumo à Estação da Gare, local onde a festa terá sequência. No percurso, o desfile será uma festa a parte, com muita interação e manifestações de alegria e luta: Bloco Pretinhosidades (movimento negro), Bloco “As Voadoras” (organizado pelo Coletivo Voe, do movimento LGBTT), Bloco Flores da Rua (movimento de mulheres, organizado pelo grupo Mulheres Bonitas Fazendo História, do Bairro Urlândia), Bloco Levanta Povo (organizado pelo movimento Levante Popular da Juventude, chamando para o Plebiscito pela Constituinte brasileira), Bloco Ilê Axé Ossanha Agué (da comunidade do terreiro Ilê Axé Ossanha Agué, da zona oeste da cidade) e o Bloco Beldades do Funk. Também integram a organização o Coletivo de Resistência Artística Periférica (Co-rap), a Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e a revista O Viés.

Os muambeiros já estão na preparação da festa desde o mês passado, quando o grupo realizou uma festa prévia na sede da escola de samba Arco-Íris, na Gare. O movimento também já confeccionou materiais para o desfile deste sábado, a exemplo de estandartes, faixas e bandeiras. A festa já possui a sua porta-estandarte, Flávia Gomes (da escola de samba Mocidade Independente das Dores), e suas musas e muso – Tati Rafaela (representando o Alojamento da Verônica), Weruska Gamela PenosaJéssica Santos (Representando a Comunidade de Terreiro Ilê Axé Ossanha Agué) e Manoel Luthiery.

A festividade é gratuita e o grupo apenas convida a quem quiser participar que se junte aos blocos neste sábado. Esta é a primeira edição da Muamba e, com a receptividade do público, pode se tornar uma festa tradicional de rua em Santa Maria.

Para mais informações sobre a Muamba, está disponível na rede social Facebook uma página do grupo. Acesse em www.facebook.com/pages/Muamba

Comentários estão fechados.