GREVE. Técnicos da UFSM preparam nova caravana a Brasília. E aprovam mais um troco extra para Fundo

Blog Claudemir Pereira, 29/07/2015, Online

Uma greve não custa pouco. Há a necessidade de recursos, normalmente proveniente de um Fundo específico (para não entrar muito nas finanças das entidades que as lideram). Nada excepcional, portanto, que os técnico-administrativos grevistas da UFSM tenham aprovado, nesta terça, em assembleia, um troco extra para manutenção do movimento paredista.

Ah, mas não foi apenas isso que se decidiu no encontro realizado na parte da manhã, e cujos detalhes você conhece através do material produzido e distribuído pela assessoria de comunicação da Assufsm, a entidade que representa os trabalhadores. A seguir:

Assembleia aprova nova parcela do Fundo de Greve e participação na Caravana a Brasília

Duas pautas importantes foram definidas na manhã de hoje (terça) em Assembleia realizada no Auditório da Química. O primeiro ponto foi a aprovação de mais uma parcela referente ao fundo de greve, que é o dinheiro utilizado para manutenção do movimento paredista. A aprovação foi por ampla maioria, com apenas 5 abstenções.

Já a participação dos TAEs da UFSM na Caravana para Brasília foi aprovada por unanimidade. Foi definido que os interessados poderão se inscrever até amanhã (quarta), dia 29, às 17h, junto ao lonão do Comando Local de Greve (CLG) em frente ao prédio do CCNE. Na sexta, 31, haverá reunião com os caravaneiros a partir das 14h no mesmo local. A Caravana para Brasília ocorre entre os dias 05 e 06 de agosto na capital federal, e a saída de Santa Maria ocorre no dia 03, com horário ainda a definir.

Na Assembleia, também ocorreu avaliação do movimento nesses dois meses e informes locais e nacionais.

Entre os informes locais e nacionais, destaque para: o relato das últimas atividades de greve, como a reunião de avaliação da negociação com MEC e MPOG ocorrida ontem, 27, no CLG; e as atividades em Brasília, relatadas pelos delegados da UFSM (Carlos Militz, Celso Fialho e Nelson de Castro) que compuseram o Comando Nacional de Greve (CNG) nas últimas duas semanas. Na avaliação deles, a greve está forte e tem sido feita sem desunião no CNG, há o entendimento de que a negociação com o governo tem ao menos recebido respostas mais efetivas do que em movimentos anteriores e que é preciso aumentar ainda mais a visibilidade do movimento para que haja efetividade na greve.”

Comentários estão fechados.