Cortes preocupam a UFSM

Diário de Santa Maria, 17/09/15, colunas, pág. 2  

O vice-reitor da UFSM, Paulo Bayard, está preocupado com medidas do pacote de Dilma. À Rádio Universidade, ele falou que com o corte do abono permanência de 11%, que é o reembolso da contribuição previdenciária ao funcionário que pode se aposentar mas opta por não parar, a tendência é de que muitos professores e técnicos da UFSM se aposentem, sem concurso para repor vagas.

– Isso vai afetar barbaramente a qualidade do ensino, pesquisa e extensão – afirmou Bayard.

Ele afirmou que ainda este ano cursos do campus de Silveira Martins deverão ser transferidos a Santa Maria. Administração e Tecnologia em Gestão de Turismo devem ser oferecidos pelo CCSH, e Tecnologia em Agronegócio e Tecnologia em Gestão Ambiental, pelo Colégio Politécnico. Já Ciências e Humanidades deve ser extinto, por orientação do MEC, com as vagas sendo redistribuídas a outros cursos, como Medicina. A estrutura da Udessm deverá sediar um núcleo de artes, um centro de documentação e memória e um espaço para convenções. Conforme Bayard, o processo está adiantado e ainda deverá passar pelos conselhos superiores. Desde 2009, só 30% das vagas oferecidas na Udessm são preenchidas.

Comentários estão fechados.