Prefeitura deve pedir ajuda especializada à UFSM

Diário de Santa Maria, 28/10/2015, Geral, Pág 10.

Representantes de órgãos públicos discutiram ontem em reunião do GGI-M ações preventivas em casos de desastres naturais. De acordo com Adelar Vargas, coordenador da Defesa Civil, a prefeitura estuda firmar uma parceria com especialistas da UFSM. De certo, por enquanto, segundo Adelar, sabe-se que a universidade será convidada a participar da próxima reunião do grupo para discutir um trabalho em conjunto com profissionais de diferentes áreas.

De acordo com o vice-reitor da UFSM, Paulo Bayard, uma primeira tratativa já foi feita. A universidade se colocou à disposição para auxiliar o município na prevenção de desastres naturais.

– Temos um corpo técnico qualificado e muito capacitado nesta área. No entanto, precisa de recursos e estudos para isso, e não será para agora – ressalta.

Outra ideia é contar com apoio internacional. Segundo Adelar, Santa Maria poderá ser, no futuro, uma cidade resiliente – aquelas que constroem planos estratégicos para prevenção de desastres – em parceria com a Organização das Nações Unidas (ONU). Se isso acontecer, o município deve encaminhar relatórios semestrais para a organização. Dependendo da situação, pode obter recursos internacionais para investir em prevenção ou auxílio em casos de desastres naturais.

– Temos um longo trabalho até lá. Cidades como Porto Alegre e Caxias do Sul são resilientes, mas estão sempre se preparando e inovando em questões de prevenção – explica Adelar.

Além disso, a prefeitura segue gestando o projeto da Superintendência de Monitoramento de Desastres. Não está confirmado quando o decreto deve ser assinado, mas a ideia vem sendo discutida há cerca de um ano. Segundo Adelar, essa superintendência, na prática, já funciona com número 153.

Comentários estão fechados.