Atletas brasileiros ganham simulador de treinamento de alta tecnologia

Portal Brasil, 02/12/2015, Esporte

Laboratório de Performance em Ambiente Simulado, no interior gaúcho, é um equipamento único na América Latina

O Laboratório de Performance em Ambiente Simulado (Lapas), equipamento único na América Latina, com tecnologia para simular diferentes condições de altitude, temperatura, vento e umidade, já está pronto para operar e ajudar na capacitação dos atletas brasileiros. A inauguração, nesta terça-feira (1º), foi realizada no Centro de Educação Física da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), no interior gaúcho, e contou com a participação do ministro do Esporte, George Hilton. O laboratório integra o Centro de Pesquisa em Ambiente Simulado.

Instalado no Departamento de Desportos Coletivos do Centro de Educação Física da (UFSM, o laboratório é o único da América Latina. A estrutura fará parte da Rede Nacional de Treinamento que está sendo estruturada pelo ministério em todo o País. O projeto é resultado de parceria da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) com o Ministério do Esporte.

“É um marco na medicina do esporte, que vai capacitar os nossos atletas para terem condições de suportar, enfrentar as situações mais adversas, relacionadas à altitude, à umidade, à temperatura. Tenho certeza que será fundamental para um país que almeja chegar entre os dez primeiros nos Jogos Olímpicos e entre os cinco nos Jogos Paralímpicos”, declarou George Hilton.

Intenção e convênio

O objetivo do Lapas é proporcionar aos atletas brasileiros, em preparação para os Jogos Olímpicos de 2016 e outras competições relevantes, condições tecnológicas de treinamento similares às existentes nos países que lideram o cenário esportivo internacional, como Estados Unidos, Japão, Rússia e outros países da Europa.

A partir de convênio com a UFSM, o Ministério do Esporte investiu R$ 1,2 milhão na aquisição de aparelhos de origem inglesa, entre os quais uma superesteira e uma câmara de simulação de condições climáticas capaz de controlar a temperatura (em condições que variam de -40ºC a 50ºC), a umidade (de 14% a 90%) e a presença de oxigênio de acordo com a altitude (podendo simular situações de até 9 mil metros).

Dessa maneira, pode ser simulado o ambiente que os atletas encontram em uma determinada competição, como forma de adaptação não só do corpo, mas também para testar desempenho de trajes, medicamentos e materiais esportivos.

A esteira de alta performance pode ser utilizada por cadeirantes, corredores e ciclistas. Nela, é possível programar aceleração (até 70 quilômetros por hora), aclives, declives e até o trajeto de uma determinada prova.

Comentários estão fechados.