Corredores seguem superlotados

Diário de Santa Maria, 15/03/16, Geral, Pág. 9

Até o fim de abril, o Estado quer que esteja resolvido o problema da superlotação do Pronto Socorro do Hospital Universitário de Santa Maria (Husm). A confirmação é do responsável pela 4ª Coordenadoria Regional de Saúde, Moacir Alves da Rosa.

Há um mês, o Husm chamou uma coletiva de imprensa para mostrar a situação. À época, 44 pacientes estavam sendo atendidos em macas nos corredores do hospital, além dos 23 em leitos regulares. Hoje, o número excedente é de 27, segundo o chefe da Divisão de Cuidados do Husm, Salvador Penteado.

De lá para cá, após reunião na Assembleia Legislativa, foi criada uma comissão que ficou responsável por montar um plano regional de urgência e de emergência. Participam da equipe representantes de prefeituras da região, do Husm e da 4ª CRS. A ideia é que se busque hospitais disponíveis para oferecer os chamados leitos de retaguarda, que seriam locais para onde os pacientes poderiam ser encaminhados quando o Husm estivesse superlotado.

O responsável pela 4ª CRS afirma que o Estado está trabalhando para tentar resolver o problema. De acordo com Moacir, 10 hospitais da região se disponibilizaram a oferecer leitos de retaguarda em clínica e traumatologia. No entanto, afirmam que os repasses feitos atualmente são insuficientes para o atendimento. O Estado está tentando negociar esses valores.

Moacir afirma que a expectativa é de que, até o fim do mês que vem, seja acertado quais hospitais poderão receber os pacientes.

Comentários estão fechados.