Hospital Regional: elefante branco?

A Razão, 23/05/2016

O Hospital Regional foi uma das maiores conquistas da região, pois deverá beneficiar cerca de um milhão de pessoas de 40 municípios, em seus mais de 270 leitos. Um hospital de vanguarda, que permite acessos facilitados e ergonômicos para todos os atendimentos a que se propõe: ortopedia, traumatologia, neurologia, reabilitação e emergências.

Só que esse gigante vive momentos de total incerteza, justamente num momento em que o Pronto Socorro do HUSM sofre com a permanente superlotação, e que estoura sempre no lado mais frágil: o doente grave. Sem falar nos acidentados que se acumulam na fila da ortopedia e traumatologia.

Sempre defendi que a gestão do Regional fosse entregue à EBSERH (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares), que já administra com sucesso o HUSM. E isso estava progredindo, pois a UFSM, o Ministério da Saúde e a EBSERH assinaram compromisso no final de 2014, reafirmado em 2015 e novamente no inicio desse ano, prevendo financiamentos para equipamentos e contratação de mais de mil profissionais.

Já o Governo do Estado, principal responsável pelo Regional, se mantém distante da questão, uma vez que não dispõe de recursos financeiros para bancar o empreendimento. E essa demora na tomada de uma decisão, pode ser fatal. O Regional entrou pela segunda vez no orçamento da EBSERH, e já poderia ter sido contemplado no último concurso nacional (para o qual o HUSM já está chamando anestesiologistas, cardiologistas, hematologistas, entre outros).

Vejam como o poder público, assim como toma decisões acertadas, por outro peca por incompetência e falta de diálogo com a sociedade. Perdemos a grande e talvez única oportunidade, pois, como diz o ditado gaúcho, “cavalo encilhado não passa duas vezes”,

Agora vivemos uma crise financeira sem precedentes nos cofres públicos. Mesmo assim ainda existe uma esperança, pois o Regional iria abrir em etapas, contratando pessoas e adquirindo equipamentos também em etapas. Por isso é hora dos prefeitos da AMCentro, Famurgs, vereadores, deputados e senadores gaúchos se unirem para buscar uma solução para o Regional, antes que ele se transforme num “elefante branco”. É a única maneira de retribuírem aos milhares de dependentes do SUS. Pelo amor de Deus !

Comentários estão fechados.