Uma dificuldade a mais

Erro no sistema do Sisu impossibilitou muitas inscrições a vagas de Medicina

É fato: o ingresso ao curso de Medicina é o mais difícil e o mais concorrido não só na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), mas na maioria das instituições que oferece a graduação. E uma novidade não muito boa fez com que muitos concorrentes a uma das 48 vagas oferecidas pela Federal de Santa Maria, por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), tornasse a dificuldade ainda maior.

Pela primeira vez desde que aderiu ao programa, a instituição delimitou uma média mínima para que o candidato pudesse concorrer às vagas. No caso da Medicina, os interessados precisavam ter feito média de 741 pontos em cada uma das provas Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

A nota é altíssima, como reconhece a própria instituição. A exigência de média de 741 pontos no Enem em Linguagens, por exemplo, significaria acertar 43 das 45 questões. A UFSM já anunciou que abrirá novo processo seletivo após o período de inscrições do Sisu, que termina na quinta-feira, para o preenchimento das vagas que sobrarem.

Segundo a Pró-Reitoria de Graduação, a exigência foi causada por um problema no sistema de inscrição. O processo é criado por uma empresa privada e, por questões de segurança, não permite alterações depois das inscrições abertas.

– Foi um equívoco, mas como é uma empresa licitada pelo próprio Ministério da Educação, quando encerram todos os prazos, o sistema não pode ser mais aberto – explica Jerônimo Tybusch, coordenador de planejamento acadêmico da Prograd.

Outros cursos da UFSM também estão exigindo nota mínima. A segunda mais alta, depois da Medicina, é a Medicina Veterinária, que pede mínimo de 550 pontos.

Seleção via Coperves

Conforme Tybusch, a previsão é que nenhuma vaga de Medicina seja preenchida. Após o fim das inscrições pelo Sisu, a UFSM fará um levantamento das vagas não-preenchidas e abrirá novo processo seletivo. Dessa vez, por um sistema da Coperves.

– Arranjamos uma forma de compensar. Ninguém está sendo prejudicado com isso – pontua.

A nova seleção deve ser realizada entre 3 e 4 de junho. No sistema da Coperves, a proporção da distribuição das vagas em cada cota será igual ao do Sisu.

– É um sistema fácil e muito seguro. Pelo CPF vamos buscar a nota do estudante no Enem. Exatamente igual ao processo do Sisu. A única diferença é que o aluno vai ter que se inscrever de novo (pelo novo sistema). O resultado deve sair em uma semana – explica Tybusch.

Por meio da assessoria de imprensa, o Ministério da Educação informou que as universidades têm autonomia para definir sobre a adesão ao Sisu.

Comentários estão fechados.