Em 13 anos, 200 servidores são expulsos do serviço público no RS

Categorias G1 RS

G1 RS, 13/10/2016

Relatório foi atualizado Controladoria-Geral da União na terça-feira (11).
Atualmente, atuam no estado 35.369 servidores federais, segundo a CGU.

Um relatório da Controladoria-Geral da União (CGU) atualizado na última terça-feira (11) aponta que o número de servidores expulsos do serviço público federal desde 2003 no Rio Grande do Sul chegou a 200 em setembro de 2016.

Entre os estados que mais expulsaram envolvidos em irregularidades, o Rio Grande do Sul aparece na 15ª posição – ao lado de Goiás e Espírito Santo.

O documento enumera as punições contra servidores públicos federais que foram demitidos, destituídos de seus cargos comissionados ou que tiveram as aposentadorias cassadas. Até setembro de 2016 foram contabilizadas oito demissões no estado gaúcho.

Segundo o corregedor-geral da União, Waldir João da Silva Júnior, as estatísticas não embasam as ações de fiscalização. “O que realmente nos importa é fazer apuratórios quando se tem irregularidade. Esse é o grande norte da atividade de corregedoria”, disse ao G1.

“Quando a conduta é grave e fere princípios, havendo improbidade administrativa, a gente encara como corrupção. Em outros casos, até se dá advertência. Mas em casos de corrupção, a pessoa é necessariamente expulsa”, continuou o corregedor.

Os dados não incluem funcionários de empresas estatais como Caixa Econômica Federal, Correios e Petrobras.

Em 2016 foram demitidos no Rio Grande do Sul servidores do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), da Universidade Federal de Santa Maria(UFSM) , da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) e da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), por improbidade administrativa, abandono de cargo ou por obter vantagens indevidas por conta da função que desempenhavam.

Em 2015 foram registradas um total de 23 punições de servidores federais no estado. Entre estas, sete eram referentes à demissão e cassação da aposentadoria de policiais rodoviários federais que cometeram crimes e irregularidades.

No ano passado também foram punidos funcionários da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE), do INSS, do Ministério da Saúde, entre outros.

Desde 2003, o total chega a 200 funcionários punidos no Rio Grande do Sul, onde 35.369 servidores federais atuam.

Levando em conta a proporção entre o número de servidores federais e o total de expulsos, o estado figura na penúltima posição, com 2,35 expulsões para cada 1 mil servidores ativos, à frente apenas do Piauí, com índice de 1,62. Na primeira posição aparece o Amazonas, com 11,32.

De acordo com os dados da CGU, nos últimos cinco anos em todo o país, as duas principais causas de expulsões de servidores públicos foram por atos de corrupção (65,4%) e abandono do cargo, faltas ou acúmulo indevido de funções (24%).

Comentários estão fechados.