A tecnologia e as crianças

Jornal A Razão, 26/10/2016, Serviço, Online

Atividades avaliam impactos da tecnologia no desenvolvimento infantil

Atividades avaliam impactos da tecnologia no desenvolvimento infantil (Reprodução / A Razão)
Atividades avaliam impactos da tecnologia no desenvolvimento infantil (Reprodução / A Razão)

Smarthphones e tablets, laboratórios de informática e lousas digitais são meios eletrônicos cada vez mais presentes nas escolas privadas e públicas. No entanto, o uso inadvertido de tecnologias pode trazer algum tipo de impacto para o desenvolvimento infantil? Para o professor da Universidade de São Paulo (USP) Valdemar Setzer, doutor em Matemática Aplicada, a resposta é sim. O pesquisador estará em Santa Maria hoje e amanhã para uma série de atividades sobre a temática.

Nesta quarta-feira, dia 26, Setzer ministra a palestra “O impacto dos meios eletrônicos no lar, na escola e no trabalho”, no auditório do Centro de Ciências da Saúde (CCS) da UFSM, prédio 26 do campus. O evento terá início às 13h30 e será aberto à comunidade acadêmica. À noite, o pesquisador palestra para alunos do ensino médio integrado e ensino técnico da Escola Estadual Maria Rocha, a partir das 20h. O tema da atividade é uma pergunta que será respondida por Setzer: “O que a TV, os videogames, o computador e a internet estão fazendo comigo? O que fazer?”.

Na quinta-feira, dia 27, Setzer conversa com professores da Escola Municipal Vicente Farencena sobre o impacto dos meios eletrônicos em crianças, às 9h. À noite, falará sobre o mesmo tema com alunos dos cursos de Pedagogia e Educação Especial da UFSM, a partir das 19h, no auditório da Multiweb, prédio 67 do campus.

“Não existe nenhum trabalho científico mostrando que a criança precisa começar cedo a usar tecnologia. Nenhum pai responsável colocará o filho para dirigir com 12 ou 13 anos, pois sabe que ele não tem responsabilidade e coordenação motora para isso. E coloca o computador por quê? Porque os efeitos prejudiciais para crianças, adolescentes

Comentários estão fechados.