UFSM. Reitor vai à Câmara e diz que há risco de a instituição paralisar atividades em setembro. Como?

Blog Claudemir Pereira, 19/04/17

Por MAIQUEL ROSAURO (com foto de Fabiano Bohrer/AICV), Especial para o Site

O reitor da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Paulo Afonso Burmann, esteve na Câmara de Vereadores na tarde dessa terça-feira (18). Ele demonstrou preocupação com a queda de repasses da União e afirmou que existe a possibilidade de a instituição paralisar totalmente suas atividades em setembro, caso a situação não seja normalizada.

“Vim até aqui pedir a mobilização de todos os vereadores para que lutemos pela nossa universidade. Quero que todos compreendam que a UFSM é de todos nós”, salientou o reitor.

De acordo com o pró-reitor de Planejamento, Frank Leonardo Casado, a UFSM recebeu este ano R$ 34 milhões para limite de empenho em custeio e capital. Porém, a instituição conta hoje liquidado e não pago o total de R$ 10.219.000,00.

Como resultado da queda da repasses, 68 vigilantes terceirizados que atuavam na UFSM foram demitidos este mês. Há também o risco que funcionários terceirizados do HUSM perderem o emprego.

O setor da construção civil também deverá sentir os efeitos do déficit financeiro. Há um grande volume de obras no campus e a falta de pagamentos por parte da UFSM tende a gerar demissões nas construtoras.

Em maio, a Câmara de Vereadores irá realizar uma reunião plenária no campus. Enquanto isso, os parlamentares entrarão em contato com os deputados federais e senadores de seus partidos a fim de pressionar a União para regularizar os repasses.

Comentários estão fechados.