UFSM alega ter recursos para pagar despesas somente até setembro

Rádio Gaúcha SM Online, 19/04/2017

Corte no orçamento para custeio e manutenção pode chegar a R$ 28 milhões

A Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) afirma que tem dinheiro em caixa até setembro para pagar despesas. A afirmação é do reitor Paulo Burmann que é categórico ao dizer que a UFSM tem um fôlego financeiro limitado.

Se o governo federal confirmar o contingenciamento previsto para a instituição, a UFSM não terá dinheiro para arcar com compromissos como assistência estudantil e pagamentos de serviços terceirizados (como vigilância e portaria), além de outros compromissos como reformas e serviços de água, luz, telefone.

O impacto de um possível contingenciamento e, inclusive, dependendo do tamanho da tesourada da União, a UFSM pode ter comprometido o funcionamento da instituição, impactando até mesmo nas aulas.

Já neste mês, a UFSM teve que reduzir um contrato com a Suclean, que presta serviço terceirizado à universidade. A partir do próximo mês, 68 vigilantes (que já receberam aviso prévio da empresa) serão dispensados.

No cenário de revisão e de cortes da UFSM, o reitor admite que há, sim, possibilidade de que contratos terceirizados para serviços de manutenção e de portaria sejam revistos.

Burmann projeta que o déficit da instituição, até o fim do ano, fique entre R$ 25 milhões e R$ 28 milhões nas verbas para custeios e manutenção.

Comentários estão fechados.