“O HPR não caiu de paraquedas aqui”, declara Dudu

Jornal Tribuna da Produção, 28/09/2017.

Executivo pretende realizar encontro regional nos próximos dias para falar sobre andamento do HPR

Uma declaração do prefeito de Liberato Salzano, Gilson de Carli, sobre o Hospital Público Regional durante uma reunião da Amzop causou mal-estar na Administração Municipal de Palmeira das Missões. Durante o encontro no 7 de setembro, na Feimate de Novo Barreiro, o gestor teria direcionado críticas com relação ao atraso para o início da obra do HPR, e proposto aos prefeitos da região a possibilidade de distribuição dos recursos depositados para ao menos 8 hospitais de região.

A ideia também ganhou força no município vizinho de Frederico Westphalen, através de declarações do prefeito José Alberto Panosso na imprensa local. Nossa equipe de reportagem buscou contato com o prefeito, mas até o momento não obtivemos retorno.

Visando esclarecer os fatos, o Executivo de Palmeira das Missões e a comissão do HPR se reuniram na tarde de hoje (28) na Ufsm Campus Palmeira das Missõs com diversas entidades. De acordo com o prefeito Eduardo Freire, o projeto do hospital segue dentro do cronograma legal, e está incluso no plano plurianual do Governo do Estado. “Na segunda-feira fomos até Frederico conversar com o Panosso, e deixei claro a nossa insatisfação com as recentes declarações. Ele justificou que houve um mal entendido por parte da imprensa, e que Frederico Westphalen é parceiro do projeto”.

Questionado sobre a viabilidade do projeto, e se a obra poderia se transformar em um possível elefante branco, Dudu foi enfático ao afirmar que o hospital é uma necessidade real, e que vai atender mais de 500 mil habitantes. “Esse projeto [HPR] não caiu de paraquedas aqui. Nossa região é mais carente do Estado, e temos sim a necessidade de termos um hospital de média e alta complexidade na região, e isso já foi apresentado por técnicos da Secretaria Estadual de Saúde, com a viabilidade do mesmo. Se não fizermos esse hospital agora, esses 72 municípios vão passar 100 anos sem ter um centro de referência”.

O diretor do Gabinete de Projetos, Silvestre Becker, defendeu a união de esforços, e declarou que pretende promover uma encontro com prefeitos e lideranças dos 72 municípios nos próximos dias, com data a ser confirmada. “Nós temos que pensar numa unidade regional, e não podemos nesse momento entrarmos em discussões de microerosões, de cidade contra cidade”.

Mais detalhes na edição impressa/digital da próxima sexta-feira (6/10).

Comentários estão fechados.