Oficinas de jogos tradicionais divertem a criançada na UFSM

Diário de Santa Maria, 28/10/17, Esportes, Online. 

Mais de 22 modalidades de jogos estiveram presentes na manhã deste sábado

Oficinas de jogos tradicionais divertem a criançada na UFSM Lucas Amorelli/New CO DSM
Foto: Lucas Amorelli / New CO DSM

A manhã de sábado foi movimentada na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Desde as 9h, mais  de 400 pessoas, entre crianças e adultos, participaram do 1º Encontro Brasileiro de Jogos Tradicionais e Autóctones, organizado por pesquisadores da instituição, em parceria com a prefeitura de Santa Maria.

As atividades, abertas ao público em geral, foram marcadas pela participação de pais e filhos nas oficinas de mais de 20 jogos, que incluíram corrida de tamancos, cabo de guerra, laço de vaca parada e outras tantas brincadeiras que fizeram parte da infância de muita gente.

E foi isso o que motivou o servidor público Flávio de Freitas a levar a filha, Marina, de 10 anos, para a universidade. Apesar da chuva, que fez com que as atividades não pudessem ser realizadas ao ar livre, a manhã foi de muita descoberta e diversão para pai e filha.

– A gente gosta muito de brincar com brinquedos tradicionais em casa. Ela adora, e a gente se diverte bastante. Hoje, não foi diferente… – contou o pai.

 Santa Maria - RS - BRASIL 28/10/20171º Encontro Brasileiro de Jogos Tradicionais e Autóctones na UFSM

Marina foi com o pai, Flávio, para passar a manhã brincando e conhecendo jogos diferentesFoto: Lucas Amorelli / New CO DSM

– Eu brinquei em todos os jogos, mas o que eu mais gostei foi o kubb (saiba o que é, logo abaixo). Eu achei legal porque são brinquedos antigos que a gente pode se divertir. Só gostaria que essa manhã durasse mais! – comentou Marina.

O professor e um dos organizadores, Pierre Normando Gomes da Silva, ressaltou que a ideia do Encontro não era criar uma “competição” entre os jogos tradicionais e os tecnológicos, mas dar visibilidade às brincadeiras que fizeram parte da cultura de muitos adultos e que podem ser passados aos filhos.

– A gente quer mostrar que tem espaço para todos os tipos de jogos, mas que não podemos perder a essência do que faz parte da nossa cultura. Com isso, queremos que as crianças aprendem as coisas, na vida, a partir do que aprendem com os jogos – destacou.

Segundo a professora Elizara Carolina Marin, do curso de Educação Física da UFSM e uma das coordenadoras do Encontro, a expectativa com as brincadeiras foi superada. Para ela, o objetivo principal era trazer às crianças a possibilidade de conhecer a aprender a brincar com os jogos tradicionais.

– Foi incrível, porque vimos que nenhuma criança estava com o celular na mão. Todos se divertiram muito e a gente fica muito feliz com o resultado. Nossa ideia, agora, é que possamos fazer dessa atividade algo fixo na cidade, para proporcionar esse aprendizado às crianças.

Além das oficinas de jogos, na sexta-feira foram realizadas palestras e exposições de jogos tradicionais. Pesquisadores de Santa Catarina, Paraná, Minas Gerais, São Paulo, Rio Grande do Norte e Paraíba participaram das atividades.

 Santa Maria - RS - BRASIL 28/10/20171º Encontro Brasileiro de Jogos Tradicionais e Autóctones na UFSM

Foto: Lucas Amorelli / New CO DSM

CONHEÇA AS 22 ATIVIDADES OFERECIDAS 

BAGATELA
Brinquedo tipo pinball, de madeira, em tamanho reduzido. Cedido pelo Museu dos Clubes Caça e Tiro de Blumenau

BOCHA CAMPEIRA
Vertente da bocha tradicional, onde a cancha dá lugar ao gramado

BOCHA 48 OU BOCHA ATIRADA
Vertente da bocha tradicional. Nela, as bochas devem ser atiradas o mais distante possível

BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS POTIGUARES
Brincadeiras do Rio Grande do Norte. Passa pela cama-de-gato, jogo do peixe (pega-pega com desenho do peixe no chão) e castanha (parecido com bolita)

CABO DE GUERRA
Tradicional brincadeira que consiste em duas equipes puxando um cabo, em sentidos contrários

CANOAGEM
Aula teórica sobre o esporte. Ministrado por Givago Ribeiro, Cristina Bittencourt e Alexandre Stanque

CORRIDA DE TAMANCOS
Típica brincadeira germânica, popular em oktoberfests. Vence quem terminar o percurso estabelecido primeiro. Se perder ou descalçar um dos tamancos, deve-se retornar ao começo

DESCOBRINDO-SE PELO BRINCAR
O oficineiro vai construir brinquedo com crianças. Ioiô, hélices, arco e trava, galo de lata, bonecos

ESCOLHA SEU JOGO
Passa por jogos do mundo, jogo da onça, oskah, capitão cook, equilíbrio, arranha-céu

ESPIROBOL
Esporte bastante popular no Brasil, onde jogadores se posicionam ao redor de um poste, e buscam socar a bola amarrada nele para enrolá-la em um sentido ou outro, dependendo da equipe

KUBB
Jogo sueco, também conhecido como “xadrez dos vikings”, ou variações. Nele, o integrante de um time deve derrubar os tocos do outro time, que ficam cravados no limite de um quadrado ou círculo

LAÇO DE VACA PARADA
No esporte, o competidor deve laçar uma vaca de madeira

PANDORGA
Tradicional brincadeira em que pipas, decoradas ou não, são levantadas ao céu e seguradas por uma linha

PARACICLISMO ASSAMPAR
Ministrado pelo paratleta Denilson Souza. Ele explicará o esporte e dará a oportunidade para as pessoas experimentarem

RODA E TRAVA OU ARO E TRAVA
Com uma mão, se conduz um aro por um ferro, de maneira que o aro rode

RPG
Jogo de interpretação de personagens, com narrativas, em tabuleiro

ROLIMÃ
Carrinho de lomba à disposição no evento. Naturalmente, as pessoas poderão usufruir dele em descidas

SAPATO DE COCO
Ministrado por grupo da Paraíba. Variação do “pé de lata”, porém, com um coco

TACO
Versão simplificada do baseball. Nele, batedores e rebatedores devem acertar a base do outro com uma bolinha

TAVA OU JOGO DO OSSO
Na brincadeira, é arremessada o osso do garrão de um boi. Dependendo de como cair, o time pode ou não somar pontos

TETARFE
Arremesso em cancha, visando a soma de pontos. Pode ser de tejo, argolas, ferraduras e tavas

TRUCO
Tradicional jogo de baralho latino, herdado da Europa, popularizado por imigrantes. No Rio Grande do Sul, utiliza-se o baralho espanhol

Comentários estão fechados.