Frases racistas e suásticas são pichadas em diretório acadêmico da UFSM

Diário de Santa Maria, 21/11/2017, Geral, Online.

Pela terceira vez neste ano e justamente no mês em que se comemora a Consciência Negra, alunos da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) encontraram, dentro de uma sala, pichações racistas nas paredes.

As pichações, com frases e suásticas nazistas, foram encontradas pelos alunos na tarde de terça-feira em uma parede do diretório acadêmico do curso de Ciências Sociais, no campus de Camobi.  Os nomes* de três alunos negros também estavam escritos nas paredes.

Frases foram encontradas em uma das paredes do diretório das Ciências Sociais, no início desta tarde
Frases foram encontradas em uma das paredes do diretório das Ciências Sociais, no início desta tarde
Foto: Reprodução

Na manhã desta quarta-feira, o Diário conversou com uma aluna negra que relatou como foi a descoberta e o registro de ocorrência. Apesar de não ter seu nome escrito na pichação, ela disse que se sente “totalmente desrespeitada”. Confira o relato da aluna aqui.

Diário conversou com o reitor da UFSM, Paulo Burmann, que reiterou que este é um ato racista e covarde e não se trata de uma ação isolada. Ele afirmou que entende o sentimento de medo dos alunos e que a UFSM está tomando todas as providências, via comissão de sindicância e ouvidoria, para identificar os autores das frase. Confira o que o reitor disse aqui.

INDIGNAÇÃO
Segundo um dos alunos que teve o nome escrito nas paredes, a sala do diretório não tem chave e também não há sistema de câmeras de monitoramento no local, o que dificulta a identificação dos autores. Para o estudante, que tem 23 anos, foi assustador tomar conhecimento sobre o caso.

– Eu estou bem surpreso com tudo isso. A gente não sabe bem como proceder, é complicado… – relatou o aluno, que terá a identidade preservada pelo Diário.

INVESTIGAÇÃO
Após a descoberta, os alunos foram até a sede da Polícia Federal de Santa Maria, onde foi feito o registro de ocorrência. Peritos foram ao diretório acadêmico o final da tarde, fizeram a perícia e liberaram a sala. Até a manhã desta quarta, a Polícia Federal ainda não tinha designado um delegado para o caso.

Segundo alunos, à tarde, será feito o registro de ocorrência no Ministério Público Federal.

PELA TERCEIRA VEZ
Esta é a terceira vez no ano que um episódio deste tipo acontece dentro de salas de diretórios da UFSM. Os outros dois casos ocorreram no Diretório Livre do Direito. Em agosto, uma suástica (símbolo nazista) foi desenhada na parede. Em setembro, alunos encontraram a frase “Fulano e fulana*, o lugar de vocês é no tronco, fora negros, negrada fora” em uma das paredes.

*Os nomes das pessoas citadas na frase racista na parede do Diretório Livre do Direito em setembro foram preservados pelo Diário para não expô-las ainda mais.

 

Comentários estão fechados.