Alunos fazem manifestação contra o racismo na UFSM

Diário de Santa Maria, 24/11/2017, Geral, Online.

Na manhã desta sexta-feira, alunos da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) realizaram uma manifestação em repúdio aos ataques racistas que ocorreram na instituição. Desde as 8h30min, cerca de 50 estudantes de diferentes cursos se reuniram no prédio da reitoria, no campus de Camobi, e cobraram um posicionamento em relação aos três episódios registrados em menos de quatro meses, com ataques a alunos negros da UFSM.

Uma faixa com os dizeres “Racismo basta” foi pendurada no prédio, cartazes foram colados nos vidros do prédio da reitoria e houve, ainda, intervenções com músicas e danças de origem afro-brasileira por parte dos alunos que participaram das atividades. A Polícia Federal também esteve no local para conversar com os alunos.

 Santa Maria - RS - BRASIL 24/11/2017 Protesto da UFSM
Foto: Lucas Amorelli / Newco SM

Segundo Mylena Larruscain, 23 anos, representante do DCE e do Coletivo Enegrescer, uma nota com pedidos emergenciais e a longo prazo foi entregue ao reitor, Paulo Burmann, durante reunião do Conselho Universitário (Consul) que acontecia nesta manhã. O objetivo dos estudantes é que, com isso, medidas efetivas de combate ao racismo sejam providenciadas.

– O movimento cobra um posicionamento da instituição. Em caráter emergencial, cobramos ações para encontrar e punir quem tenha feito isso, além de uma campanha permanente em combate ao racismo e a contratação de profissionais negros para atuarem no atendimento psicológico dos alunos afetados – comentou a estudante.

 Santa Maria - RS - BRASIL 24/11/2017 Protesto da UFSM
Foto: Lucas Amorelli / Newco SM

Em uma breve conversa com os alunos, o reitor enfatizou que é necessário constituir um grupo de trabalho para atuar no combate ao racismo dentro da instituição e garantiu que a UFSM vai procurar caminhos para viabilizar as ações cobradas pelos estudantes.

Ao longo da próxima semana, outras atividades em repúdio ao racismo devem ocorrer no campus da UFSM.

 

Comentários estão fechados.