UFSM. 3º caso de racismo provoca a divulgação de duas notas: professores de Ciências Sociais e Reitoria

Blog Claudemir Pereira. 22/11/2017.

UFSM. 3º caso de racismo provoca a divulgação de duas notas: professores de Ciências Sociais e Reitoria - ufsm-racismo

Pela terceira vez apenas neste ano, a Universidade Federal de Santa Maria vê-se atacada por criminosos raciais. Até agora, embora existam as investigações, nada foi apurado sobre a autoria. O caso mais recente foi registrado na tarde passada, em uma parede do diretório acadêmico do curso de Ciências Sociais – com detalhes que você pode conferir em material publicado pelo Diário de Santa Maria (AQUI).

Hoje, afora as informações sobre a Polícia Federal, que investiga os três casos, surgiram duas notas oficiais de repúdio. A primeira tem como autores professores que coordenam o departamento e os cursos de graduação e pós em Ciências Sociais. A segunda, que chegou mais tarde, assinada pela reitoria da instituição.

A seguir, você confere ambas. A foto é de Reprodução. Acompanhe:

Nota de Repúdio às manifestações racistas no Diretório Acadêmico de Ciências Sociais da UFSM

As coordenações dos cursos de Licenciatura e Bacharelado em Ciências Sociais em conjunto com a chefia do Departamento de Ciências Sociais e com a Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Ciências Socais da UFSM, torna público seu repúdio aos atos de racismo e apologia ao nazismo ocorridos no Diretório Acadêmico de Ciências Sociais, no dia 21 de novembro de 2017,  manifestados por meio de frases racistas “Brancos no Topo”,  “Fora Macacos”, acompanhadas de duas suásticas e dos nomes de duas alunas negras e um aluno negro  do curso de Licenciatura em Ciências Sociais.

Reafirmamos o nosso compromisso por uma educação democrática, pluralista, antirracista, que reconheça e respeite a diversidade étnico-racial e de gênero, bem como promova um diálogo intercultural de reconhecimento e respeito às diferenças e ao combate às desigualdades sociais, étnico-raciais e de gênero.

Também reforçamos o apoio às políticas públicas de ações afirmativas desenvolvidas nas universidades brasileiras que visam garantir o acesso ao ensino superior, a proteção dos direitos humanos e o combate às desigualdades sociais e étnico-raciais.

Manifestamos nossa indignação a todo e qualquer ato racista. As medidas institucionais e legais já foram tomadas. Nos colocamos à disposição para acompanhar as investigações e dar todo o apoio e solidariedade aos alunos envolvidos direta e indiretamente no caso.

Santa Maria, 22 de novembro de 2017.

Profa. Mari Cleise Sandalowski – chefe do Departamento de Ciências Sociais –UFSM

Profa. Maria Clara Mocellin – coordenadora do Curso de Licenciatura em Ciências Socais – UFSM

Profa. Janaína Xavier do Nascimento – coordenadora do Curso de Bacharelado em Ciências Sociais – UFSM

Prof. Everton Picolotto – coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais – UFSM

COMUNICADO OFICIAL DA REITORIA: Racismo basta!

Os recentes ataques racistas a estudantes negros, desta vez no Diretório Acadêmico do curso de Ciências Sociais, constituem uma tentativa covarde de revitalizar manifestações radicais nazi-fascistas, que promovem ações de RACISMO como estratégia de desestabilização dos poucos avanços sociais de inclusão, especialmente no que tange às políticas de ações afirmativas adotadas pelas universidades brasileiras e, particularmente, pela UFSM. 

É inadmissível que estes ataques aos direitos humanos mais fundamentais ocorram em um ambiente universitário. A Universidade repudia veementemente toda e qualquer intolerância, reiterando seu compromisso com as políticas públicas de inclusão, que continuarão a oferecer oportunidades para negros, pobres, indígenas e todos os que precisam de um espaço que historicamente lhes têm sido negado. 

Além de apoiar campanhas e eventos que tratam das questões raciais, da consciência negra e do respeito aos direitos humanos, como a campanha “Racismo Basta”, todas as medidas administrativas necessárias à adequada apuração e responsabilização de seus agentes estão sendo tomadas.

Os regulamentos internos, em conformidade com a legislação brasileira, estão sendo revistos e adequados para oferecer suporte às investigações e punição a qualquer ato de racismo, assédio e ataques gerais aos direitos humanos no âmbito da Universidade. Na esfera criminal, os casos também estão sob investigação da Polícia Federal (órgão responsável por esse trâmite) e coordenações de cursos, chefias de departamento, direções de unidade e administração central da UFSM têm colaborado, prestando todas as informações necessárias, como não poderia deixar de ser.

A UFSM oferece seu apoio institucional, solidariza-se, mantém o permanente diálogo com os estudantes negros que sofreram tal violência, caracterizada pela intolerância e pelo ódio, e reafirma o compromisso com uma educação transformadora e inclusiva, que seja capaz de conduzir e fomentar o respeito e a aplicação de políticas públicas na busca do equilíbrio das persistentes diferenças de raça, de etnia, de gênero, de orientação sexual, de classe e de idade.

Comentários estão fechados.