UFSM lança pedra fundamental de memorial às vítimas da Kiss

Correio do Povo, 28/03/2018.

Lançamento integrou a programação dos 62 meses do incêndio | Foto: João Schmitt / Divulgação / CP
Lançamento integrou a programação dos 62 meses do incêndio | Foto: João Schmitt / Divulgação / CP

Como parte da programação de terça-feira (27) para lembrar os 62 meses do incêndio na boate Kiss, a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) lançou a pedra fundamental do Memorial da Vida, que homenageará os 242 mortos na tragédia. O ato aconteceu no local destinado à construção, em uma área próxima ao Centro de Convenções, no campus-sede. As tratativas para a obra tiveram início em abril de 2017, quando, por iniciativa da gestão da instituição, formou-se uma comissão composta por servidores, docentes e integrantes da Associação dos Familiares de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria (AVTSM).

Na cerimônia, o coordenador do Laboratório de Paisagismo e Arquitetura e membro da comissão, professor Luis Guilherme Pippi, falou sobre o projeto, que prevê uma passarela rodeada por espelho d’água com 242 esguichos, dando acesso a um prédio para exposições e sala multimídia. A edificação foi idealizada em vidro para estimular o contato com a natureza. Estão previstas a plantação de 242 espécies de árvores que florescerão em tempos distintos durante todas as estações do ano e uma arquibancada com platôs. Na ocasião, Marta Beurem, que perdeu um filho na tragédia, disse que a construção servirá para resgatar a memória das vítimas e também como local de reflexão.

A partir das discussões da comissão, de entrevistas com familiares e das diretrizes estabelecidas para o outro memorial, que será construído no local onde funcionava a boate, foram iniciados os trabalhos no projeto para o campus. Em julho de 2017, foi formado um grupo com estudantes de Arquitetura e Urbanismo, sob a coordenação do professor Luis Guilherme Pippi. Eles apresentaram o projeto arquitetônico preliminar em dezembro à Reitoria. Os trabalhos seguirão com o desenvolvimento do projeto e, depois, com a captação de recursos para a construção.

As homenagens de ontem continuaram com a vigília dos familiares na tenda na praça Saldanha Marinho, seguida do tradicional Minuto do Barulho. Também foi exibido, na UFSM, o documentário “Depois daquele dia”, produzido pela TV OVO.

Comentários estão fechados.