Santa-mariense leva o Atlético-PR a título estadual

Diário de Santa Maria, 09/04/2018, Geral, Online.

Foto: Joka Madruga (Futura Press/Folhapress)

Ao anoitecer de domingo, a Arena da Baixada, em Curitiba, presenciou a recompensa de uma trajetória de insistência, dedicação, conhecimento e amor ao esporte. Há quase um ano no Atlético-PR, o santa-mariense Tiago Nunes, 38 anos, agarrou a principal oportunidade na carreira e conduziu o Furacão ao título paranaense. O treinador, natural de Santa Maria e formado em Educação Física pela UFSM, assumiu o comando da equipe rubro-negra no Estadual 2018 e não decepcionou. Na partida de volta da final, o seu grupo derrotou o Coritiba por 2 a 0, com gols de Bruno Guimarães e Éderson, e conquistou a taça. No duelo de ida, o Coxa havia vencido por 1 a 0, no Couto Pereira.

Na temporada 2018 do Campeonato Paranaense, o Atlético-PR adotou estratégia semelhante a do Grêmio e colocou um técnico e um time alternativos na competição. A diferença é que no Furacão a iniciativa deu certo e Tiago Nunes, que liderou o clube no lugar do titular da função, Fernando Diniz, levantou o troféu com o grupo chamado de aspirantes. A campanha do Atlético-PR foi invejável: em 16 partidas, foram 10 vitórias, cinco empates e apenas uma derrota.

- Tenho recebido muitas ligações e mensagens de Santa Maria. Minha família é toda daí. Eles também recebem esse carinho e estão mais felizes do que eu. Ainda não caiu muito a ficha. Estou aproveitando ao máximo – comemora Tiago, que reservou um espaço na sua concorrida agenda para conversar com o Diário.

Ainda em êxtase pela conquista, o treinador aproveitou a segunda-feira para conceder entrevistas e relembrar das suas raízes:

- Ainda estou tentando entender. A comemoração foi insana, chorei muito. Sou um profissional que vim do interior. A gente sabe que vive uma polarização muito grande de Grêmio e Inter no Rio Grande do Sul e da dificuldade de estar em um clube grande. Ainda tenho muita lenha para queimar, mas já me sinto bastante realizado. Vejo que a persistência traz bons frutos – diz Tiago, que começou a sua trajetória no mundo da bola como preparador físico de Riograndense e Inter-SM em 2001.

Antes mesmo do título, Tiago revela que recebeu propostas de dois clubes brasileiros. No entanto, decidiu recusar em nome da confiança depositada nele pelo Atlético-PR. Contudo, a partir de agora, as ofertas tendem a ser cada vez mais frequentes. E ele não fechará as portas.

- Recebi propostas de equipes importantes do cenário nacional, mas não aceitei pela minha responsabilidade com o clube. O Atlético-PR me ofereceu uma perspectiva de projeto a longo prazo. Minha relação com o Diniz (treinador principal) é muito boa e o nosso trabalho se complementa. A ideia é permanecer na equipe de aspirantes. Mas o mercado é intenso e não posso fechar possibilidades – pondera Tiago, que retorna hoje aos treinamentos.

Comentários estão fechados.