Produtos viajam até 1 mil quilômetros para chegar em Santa Maria

Diário de Santa Maria, 02/06/2018, Geral, Online. 

Estudantes do curso de Agropecuária do Colégio Politécnico da UFSM fizeram uma pesquisa em mais de 30 supermercados da cidade

Deni Zolin


Foto: Gabriel Haesbaert (Diário)

A greve dos caminhoneiros expôs sérios problemas do Brasil, da região e de Santa Maria, como a falta de ferrovias eficientes, além da dependência excessiva do transporte por caminhões e também a falta de produção local suficiente de hortigranjeiros e produtos industrializados. Um levantamento, feito todos os segundos semestres, por alunos do curso de Agropecuária do Colégio Politécnico da UFSM, no elemento curricular Mercados e Consumo, mostra como Santa Maria é dependente da produção de fora.

Os estudantes, munidos de um questionário, visitam mais de 30 supermercados de Santa Maria, entre grandes, médios e pequenos, buscando identificar a origem dos alimentos que estão disponíveis, especialmente aqueles da cesta básica. Segundo o professor Gustavo Pinto da Silva, que coordena essa pesquisa, há casos em que a região até produz alimentos, como soja, mas os produtos finais, como óleo de soja, chegam a viajar até 1.091 quilômetros das fábricas até a cidade. Motivo: a região não tem beneficiadoras de soja, perdendo empregos e geração de renda e impostos.

- Quando os alimentos percorrem grandes distâncias, eles perdem qualidade, gastam recursos não renováveis para deslocamento (combustíveis), aumentam os custos para os consumidores, não geram valor agregado na região, pois esta fica com uma parcela muito pequena do valor total dos alimentos. Chamo atenção especial para o momento que vivemos e da falta de ações que pensem o abastecimento alimentar, especialmente no que tange a qualificação do setor produtivo visando atender a oferta da região. Se o planejamento do abastecimento fosse mais efetivo, certamente não estávamos vendo supermercados vazios – diz Gustavo, sugerindo o fortalecimento da produção local.

Distância percorrida para chegar aqui

  • Rúcula: 0 km
  • Alface: 11 km
  • Arroz: 131 km
  • Laranja: 134 km
  • Farinha de trigo: 157 km
  • Erva mate: 233 km
  • Feijão: 245 km
  • Leite: 300 km
  • Ovos: 316 km
  • Farinha de milho: 433 km
  • Banana: 628 km
  • Carne bovina: 682 km
  • Carne de Frango: 763 km
  • Óleo de soja: 1.091 km

Dependem de transportes para deslocamento:

  • Óleo de soja (1.091 km) - Rio Grande do Sul é um grande produtor do grão, porém não faz o beneficiamento
  • Carne de frango (763 km) - Paraná, Mato Grosso e Minas Gerais, na grande maioria, exceção empresa no Vale do Taquari
  • Carne bovina (682 km) - Rondônia e Mato Grosso são centros de distribuição de uma marca famosa. Rede internacional compra destes centros.
  • Banana (628 km) - Cultura não é, mas poderia ser desenvolvida na região
  • Supermercados locais tendem a buscar marcas locais e regionais, em detrimento das grandes multinacionais
  • Soja e leite são produzidos na região, mas o beneficiamento sempre ocorre fora

Comentários estão fechados.