Sabatina a Felipe e Dalvan

Diário de Santa Maria, 25/06/2013, Política, p. 5

O reitor e candidato à reeleição da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Felipe Müller, da Chapa 2, participou, no começo da tarde de ontem, da sabatina promovida pelo Fórum das Entidades Empresariais de Santa Maria. Felipe e o seu vice, Dalvan Reinert, que buscam mais quatro anos frente à instituição, falaram ao empresariado por cerca de 1h55min. Na pauta, estavam questões polêmicas, como a data e a descentralização do vestibular e, igualmente, a expansão da instituição para outras cidades. O reitor reiterou que a instituição tem sido “propositiva” com os diversos segmentos em busca de melhorias que contemplem as demandas de Santa Maria e da Região Central por meio da inserção da Federal junto à sociedade. Felipe destacou, por meio de números, os avanços da UFSM em sua área de abrangência. Segundo ele, mensalmente são injetados na economia local de R$ 60 milhões a R$ 80 milhões. O montante, conforme o candidato à reeleição, “é algo que não pode ser desprezado”. Felipe também falou sobre a adoção do  ponto eletrônico, válido para servidores da instituição (exceto professores), que já teria possibilitado a flexibilização de horário de 48% dos funcionários.
– Há um permanente processo de integração da Federal com a sociedade. Vejam o exemplo das incubadoras, do Parque Tecnológico – falou Felipe Müller ao empresariado.
Integrante do Fórum, Luiz Fernando Pacheco, que preside a Câmara de Comércio, Indústria e Serviços de Santa Maria (Cacism), criticou o candidato Felipe Müller ao citar dois pontos: o primeiro, a descentralização do vestibular. E, por último, a expansão da instituição para outras cidades, citando a ida da UFSM para Cachoeira do Sul.
– Quem quer (a UFSM) em Cachoeira do Sul não é o Felipe, mas, sim, a presidente Dilma Rousseff. Vamos dar continuidade ao projeto do reitor fundador da instituição, que é o de levar o Ensino Superior público e gratuito para o Interior – respondeu o candidato.
O presidente da Agência de Desenvolvimento de Santa Maria (Adesm), Vilson Serro, citou que a UFSM deve enfatizar o capital da instituição para a economia do conhecimento, ou seja, por meio de investimentos em inovação e incentivo ao empreendedorismo.
Evasão é falácia, conforme o reitor Felipe Müller
O reitor e candidato à reeleição reiterou que o índice de evasão da instituição gira em torno de 9% a 12%. Felipe disse que o percentual das demais instituições de Ensino Superior do país varia de 15% a 18%. Por fim, ele falou que as insinuações de que a instituição passa por um momento preocupante em relação à evasão são “falaciosas”.

Comentários estão fechados.