Planetário: a ciência do universo disponível à comunidade - planetario

 

Vista interna do Planetário

Reclinados sobre a poltrona e com a atenção voltada para cima, os visitantes do Planetário da UFSM buscam, por meio das imagens astronômicas visualizadas na cúpula, obter novos conhecimentos sobre as questões que permeiam o universo.

Com a nova temporada reaberta ao público, os filmes disponíveis no Planetário despertam a curiosidade e a atenção dos mais variados públicos. “O fascínio pelo Planetário transcende a questão acadêmica. É uma conexão que o ser humano tem com o universo, uma necessidade de desvendar um pouco de onde viemos, para onde vamos. Essa conectividade com o universo seduz todas as idades”, comenta Diana Sampaio, atual diretora do Planetário.

O Planetário da UFSM é permeado por várias histórias interessantes, conforme relembra Diana. Em 1960, através de um pedido realizado pelo professor Mariano da Rocha, o arquiteto Oscar Niemeyer desenhou, em um guardanapo de papel, um esboço do projeto arquitetônico semelhante ao que se tem hoje. O rascunho serviu de orientação para que o arquiteto Oscar Valderato desse início ao quarto Planetário a ser construído no Brasil, o oitavo na América Latina e o primeiro no Rio Grande do Sul. “O Planetário tem uma função estratégica na questão sociocultural da cidade. Ele é um ícone arquitetônico e já atrai muita gente”, ressalta Diana.

Ainda que seja concebido como um lugar sem limite para idades, os visitantes mais assíduos do Planetário são as crianças. No ano de 2016, cerca de 700 escolas foram recebidas, totalizando mais de 20 mil crianças, conforme informou Diana. Por meio do agendamento prévio feito pelos colégios, o público infantil pode desfrutar não só dos filmes que são transmitidos, como também das curiosidades físicas e brincadeiras feitas pelos monitores antes e depois da sessão.

Crianças realizam atividades com monitores

Em busca de novos projetos

A nova temporada de sessões do Planetário inicia com novidades na gestão. Através de um projeto de extensão que tem como título “A formação do universo e a preservação da vida – iniciação à astrofísica no Planetário”, a equipe busca formalizar e divulgar o trabalho já existente, bem como aprimorá-lo. Segundo Diana, o projeto também procura realizar levantamentos qualitativos e quantitativos em relação aos efeitos causados pelas sessões, para que posteriormente esses dados possam ser divulgados ao público.

O outro objetivo planejado pela nova gestão é, juntamente com a Facos Agência, desenvolver uma campanha para repensar a própria marca do Planetário, bem como elaborar produtos que solidifiquem esse espaço. De acordo com Diana, este é um grande momento para que o trabalho tenha maior reconhecimento e que desempenhe a demanda apresentada pelos visitantes. “Todo mundo que vem e assiste a uma sessão do Planetário gostaria de levar alguma coisa de recordação. Então, é uma grande oportunidade de nós divulgarmos e termos esses produtos que vão consolidar a marca Planetário da UFSM”, destaca.

Sessões gratuitas à comunidade acadêmica

Com o objetivo de estimular a visitação ao Planetário, em especial da comunidade acadêmica, será promovida uma sessão gratuita todas as quintas-feiras, às 16h. Conforme Diana, muitos alunos e técnico-administrativos mantêm contato com a Universidade durante vários anos, mas não têm acesso ao Planetário. Membros da comunidade acadêmica podem comprovar vínculo mediante apresentação de algum documento. As sessões das quintas-feiras também podem ser conferidas pela comunidade externa.

Também busca-se incentivar a visitação pelas parcerias com as unidades acadêmicas, como a sessão realizada recentemente para os calouros do Centro de Educação (CE). Essa atividade fez parte da programação de acolhimento aos novos alunos do CE. 

As sessões têm duração de 25 a 40 minutos, dependendo do filme escolhido. Para realizar uma visita, é necessário que seja feito agendamento prévio, com no mínimo 48 horas de antecedência. Os grupos necessitam ter 30 pessoas para que a sessão seja realizada. A contribuição é no valor de R$ 4,00 para o público em geral e R$ 2,00 para estudantes. Conforme a condição socioeconômica das escolas, há isenção completa da taxa ou é cobrado um valor simbólico de R$ 1,00.

Mais informações pelo telefone (55) 3220-8226, .

Texto: Gabrielle Ineu Coradini, acadêmica de Jornalismo e bolsista da Agência de Notícias

Fotos: Gabrielle Ineu Coradini/Arquivo

Edição: Ricardo Bonfanti

 

21/08/2017