O Programa de Residência Multiprofissional apresentado neste projeto, elege a Saúde Mental como área temática central e orientadora do processo de formação de profissionais para atuar no Sistema Público de Saúde.

O Programa de Residência Multiprofissional Integrada em Saúde/UFSM, implantado desde 2009 e orientador deste projeto, tem como Diretrizes Político-Pedagógicas e Estratégias Metodológicas a formação de profissionais com competências para atuar no Sistema Público de Saúde, tendo o campo da Saúde Mental como cenário orientador e balizador do processo de formação. Norteado pelos Princípios e Diretrizes do Sistema Único de Saúde, este Programa tem como objetivo desenvolver nos profissionais capacidades para atuarem de modo não apenas interdisciplinar mas também intersetorial e interinstitucional, constituindo a lógica da “tríplice integração”. A fundamentação epistemológica e pedagógica deste projeto parte, pois, da evidência de que não existe apenas uma precária interação profissional nas equipes de trabalho, mas também há uma ineficiente interação intersetorial e interinstitucional dos diferentes níveis de complexidade do sistema.

Esta construção pela integralidade da atenção nos vários níveis do sistema pressupõe não fragmentar o caráter da formação, ou seja, não reproduzir modos de capacitação focados, segundo níveis de atenção vistos isoladamente. São nesses aspectos que se encontram as justificas dessa proposta que é de desenvolver uma modalidade de residência, pressupondo a articulação entre serviços e ações de saúde e com outras políticas públicas, como forma de assegurar a construção de caminhos para a integralidade da assistência, com repercussão mais efetiva na saúde e qualidade de vida dos indivíduos.

Plano de Estudos

PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL INTEGRADA EM SAÚDE MENTAL NO SISTEMA PÚBLICO DE SAÚDE
Código da disciplina Nome da disciplina Tipo Carga Horária Créditos
EFM851 POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE Currículo Curso 45 03
OFO 867 EDUCAÇÃO, COMUNICAÇÃO E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS EMANCIPATÓRIAS EM SAÚDE Currículo Curso 30 02
EFM866 PLANEJAMENTO E GESTÃO EM SAÚDE Currículo Curso 45 03
EFM865 VIGILÂNCIA E EPIDEMIOLOGIA EM SAÚDE: CONCEPÇÕES GERAIS Currículo Curso 30 02
RMI 1019 METODOLOGIA DE PESQUISA E INTERVENÇÃO EM SAÚDE Currículo Curso 60 04
FSR1118 VIGILÂNCIA E EPIDEMIOLOGIA EM SAÚDE: ÊNFASE EM SAÚDE MENTAL Currículo Curso 15 01
FSR 1119 TÓPICOS EM SAÚDE MENTAL I Currículo Curso 60 04
RMI1021 SEMINÁRIO AMPLIADO I Currículo Curso 30 02
RMI1020 SEMINÁRIO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO Currículo Curso 15 01
RMI1011 ATIVIDADES PRÁTICAS DE FORMAÇÃO EM SERVIÇO I Currículo Curso 2304 154
RMI1023 ATIVIDADE TEÓRICO-PRÁTICA I Currículo Curso 246 16
FSR1120 TÓPICOS EM SAÚDE MENTAL II Currículo Curso 60 04
FSR809 ATIVIDADES COMPLEMENTARES Currículo Curso 30 02
RMI1022 SEMINÁRIO AMPLIADO II Currículo Curso 30 02
RMI1024 ATIVIDADE TEÓRICO-PRÁTICA II Currículo Curso 396 26
RMI1017 ATIVIDADES PRÁTICAS DE FORMAÇÃO EM SERVIÇO II Currículo Curso 2304 154
RMI1014 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Currículo Curso 120 08

 

Campos: Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM), CAPS Caminhos do Sol, CAPS Prado Veppo, Secretaria de Município da Saúde de Santa Maria, 4ª Coordenadoria Regional de Saúde (4ª CRS).

Núcleos: Enfermagem, Psicologia, Serviço Social e Terapia Ocupacional.

Objetivos:

  • Desencadear o processo de reconhecer e compreender a Política Nacional de saúde mental e álcool e outras drogas, bem como a Rede de atenção em saúde mental.
  • Caracterizar o perfil dos usuários dos serviços de atenção em saúde mental/crack, álcool e outras drogas na 4º Coordenadoria Regional, como forma de obter subsídios para ações de planejamento;
  • Instrumentalizar as equipes envolvidas em saúde mental e toda a rede de suporte a fim de subsidiar ações com a perspectiva de uma clínica ampliada;
  • Instrumentalizar as equipes envolvidas em saúde mental para a buscas de dados nos sistemas de informações disponíveis referente aos dados de saúde mental (SIAB, DATASUS, entre outros) para obter o perfil estatísticos dos serviços e auxiliar a gestão e planejamento da ações;
  • Promover a inserção de acadêmicos nos serviços de saúde mental, visando desenvolver ações de atenção direcionadas aos usuários em sofrimento psíquico;
  • Proporcionar diálogos por meio da efetivação de espaços de discussão entre ensino-serviço, a fim de qualificar as práticas profissionais de modo a contribuir no desenvolvimento de dispositivos e tecnologias da clínica ampliada e projetos terapêuticos na perspectiva da atenção psicossocial;
  • Desenvolver atividades acadêmicas tutoriais, por meio da avaliação crítica e reflexiva das situações vivenciadas por residentes e preceptores, buscando qualidade na assistência à saúde mental;
  • Desenvolver habilidade acadêmica de corresponsabilização, ética e humanização nas atividades realizadas, buscando maior resolutividade das ações de cuidado em saúde Mental e usuários que fazem uso de crack, álcool e outras drogas;
  • Identificar as dificuldades de operacionalização dos parâmetros da Política de Atenção Integral aos usuários de saúde mental e uso de crack, álcool e outras drogas, nos municípios da região de abrangência da 4ª CRS;
  • Desenvolver ações de educação em saúde nos territórios com ênfase na saúde mental/crack, álcool e outras drogas em parceira com as equipes de Estratégia de Saúde da Família e Unidades de Atenção Básica e demais cenários sociais envolvidos;
  • Trabalhar na perspectiva das Metodologias ativas e da clínica ampliada em saúde mental, considerando os aspectos socioeconômicos, culturais, diversidade e singularidade da história de vida de cada pessoa visando a sua corresponsabilização pelo cuidado;
  • Refletir sobre os principais desafios no trabalho comunitário e reconhecer o papel da comunidade na prevenção aos Usuários que padecem de sofrimento psíquico e os que fazem uso de Crack Álcool e Outras Drogas
  • Trabalhar com apoio matricial na perspectiva da Atenção Integral aos Usuários que estão em sofrimento psíquico e os que fazem uso de Crack Álcool e Outras Drogas, a fim de compartilhar e potencializar as práticas no território, discutir os modos de promoção e prevenção em saúde mental e as possíveis formas de intervenção, envolvendo trabalhadores do CAPS e algumas equipes de ESF e UBS e acadêmicos.