O futuro pelo viés da HQ

CompartilheFacebookTwitterGoogle+tumblrPinterestEmail

Torres de metal circuladas por carros sem rodas que se movem como pássaros no ar. A cidade retratada na capa da 14ª Quadrante X parece um endereço onde os Jetsons morariam tranquilamente. Mas será assim o futuro? A frase na capa convida: “encare o futuro”. Os responsáveis pelo lançamento da revista fazem parte do Quadrinhos S.A. – Núcleo de Quadrinhistas de Santa Maria/RS. O coletivo foi criado em 2002, e, desde então, tem promovido atividades relacionadas aos quadrinhos como oficinas, ciclos de cinema e  exposições.

Anualmente, a revista publica artistas do coletivo e convidados. Nomes foram e vieram dentro do coletivo ao longo dos mais de doze anos de existência. Ao folhear as páginas dessa edição 14, vemos as assinaturas dos integrantes do Quadrinhos S.A.: Antonio Mello, Bício, Marcel Ibaldo, Marcel Jacques, Milton Soares, Rafael Grasel, e Fernando Rodrigues. Junto ao time, figuram os artistas premiados do quadrinho nacional: Rafael Correa e Max Andrade Duarte. Um grande nome também é Bira Dantas, reconhecido pelo Prêmio Angelo Agostini como mestre dos quadrinhos nacionais em 2011. Bira assina a seção Caricultura, com a caricatura do escritor de ficção científica Isaac Asimov, que combina muito bem com a temática da edição.

 

DSC00084 Detalhe da Quadrante X nº 9 Capa da Quadrante X nº9. Quadrante X nº14. A primeira Quadrante X. Edições antigas da Quadrante X

Acima, a capa de algumas edições antigas da Quadrante X, as páginas da última edição e o detalhe de uma história com o personagem Trava. 

 

Desde a edição 10, temas são lançados para os artistas. Nesta última edição 14, os artistas foram desafiados a traduzir suas percepções sobre o tempo nas páginas da revista. O tema escolhido foi o “futuro”. Cada um ofereceu uma abordagem diferente ao tema, indo de cenas cotidianas até passagens pela ficção científica. Destaque para os traços sombrios de Bruno Marafigo em “Por cada grão de areia”. O autor ganhou notoriedade nas redes sociais pelo trabalho “Diálogo da morte”, que também gira em torno das inquietações humanas em relação à passagem do tempo e a morte

Além dos diferentes estilos de quadrinhos, a revista contém seções com textos opinativos e uma parte reservada para as notícias referentes à cultura de HQ na cidade. Na contracapa, o sonho de uma cidade super tecnológica começa a ruir e dá lugar a um traço menos suave que mostra uma pilha de casas simples e amontoadas. Como será nosso futuro?

Ficha Quadrante X

 

Marcel, diretor de arte, com a Quadrante X nº 13.

Marcel, diretor de arte, com a Quadrante X nº 13.

 

Ficou curioso para saber mais sobre a Quadrante X? Ouça a entrevista feita com o diretor de arte Marcel Jaques, direto do QG do Quadrinhos S.A.

 

Texto e fotos: Luciana Minuzzi – minuzziluciana@gmail.com

CompartilheFacebookTwitterGoogle+tumblrPinterestEmail
468 ad