O que há por trás do conto “A Casa de bonecas”

CompartilheFacebookTwitterGoogle+tumblrPinterestEmail

O conto “ A casa de bonecas”, de Katherine Mansfield, foi escrito em 1921 e mostra a infância na Nova Zelândia em uma época dividida fortemente por classes sociais. A autora tem preferência em dar maior ênfase para a análise psicológica e não para o enredo, característica do período modernista. Além disso, tem como principais conceitos a subjetividade e o impressionismo, utilizando como objeto uma casa de bonecas de filhas de um casal de classe alta. Tais filhas que não poderiam misturar-se com classes inferiores, aspecto importantíssimo do conto.

ESSAAAA

Imagem JAI-UFSM 2014

Esta análise foi desenvolvida em um trabalho apresentado na 29ª Jornada Acadêmica Integrada da UFSM, que ocorreu dentre os dias 20 e 24 de outubro. Ele foi apresentado pela a aluna do sexto semestre de Letras Bruna Viedo Kich, orientada pela Prof. Dra. Vera Lucia Lenz Vianna. Sua apresentação oral tinha como objetivo “identificar traços sensoriais através da variação dos nuances de cores, no próprio conto “A casa de bonecas” de Katherine Mansfield”. Na apresentação, Bruna mostrou como as cores e os detalhes, não só da casa de bonecas, cenário principal do conto, mas como do próprio ambiente davam o grande significado para a narrativa. Tais aspectos poderiam passar despercebidos por leitores desatentos.

Com todas as análises do trabalho, concluiu-se que Katherine Mansfield teve a intenção de fazer uma crítica à época, em que a sociedade não possuía uma consciência em relação à divisão de classe social. Segundo Bruna, o grande objetivo da autora foi discutir, também, sobre a maior técnica impressionista para a ficção.

Para ler o conto: A casa de bonecas

 

Texto e imagem: Maritcheli Vieira - vieiramarit@gmail.com

 

 

 

 

 

CompartilheFacebookTwitterGoogle+tumblrPinterestEmail
468 ad