III. DIÉRESE

1. DEFINIÇÃO

Entende-se por diérese a separação dos tecidos, realizada por meio de intervenções manuais. Tem-se diferentes tipos de diérese, de acordo com o tecido a ser separado, ou seja, diérese da pele, de aponeurose, de músculo e de órgãos específicos.

2. DIÉRESE DE PELE

A pele pode ser considerada um sistema, pois possui, além da epiderme e a derme, um aporte vascular e nervoso próprios, e seus anexos como as glândulas sebáceas e sudoríparas e os folículos pilosos.
Desempenha também funções altamente especializadas, como parte dos mecanismos de defesa, regulação da pressão sangüínea, receptores dolorosos (nociceptores) e sensitivos, além de servir de "membrana" que proporciona a individualidade dos seres.

Instrumental - a separação da pele pode ser feita com o bisturi, tesoura e bisturi elétrico. Recentemente o raio laser tem sido usado para abordagens de tecidos e pode ser, de acordo com alguns autores, enquadrado como instrumento de diérese.

Técnica - desenvolve-se a partir de vários tempos: